Discussão:Tarefa para a Consultoria ao Programa Nacional do Brasil

Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil
Ir para navegação Ir para pesquisar
Arquivo
Arquivo
Clique para deixar sua dúvida Dúvidas?

Índice

Discussão sobre a primeira parte da pergunta: "Por que a comunidade de editores da Wikipédia em português não está crescendo no Brasil?"[editar]

Tomei a liberdade de editar esta parte para estruturar melhor o debate em torno da pergunta principal mantendo os comentários passionais feitos pelo usuário anônimo para ilustrar alguns pontos e receber reações de outros. Abaixo, agrupei as razões dadas em conjuntos que tentam remeter, quando possível, ao que foi destacado em alguns dos materiais indicados. E perdoem-me (e corrijam-me!) se eu infringi alguma regra de etiqueta nesta edição. Candidato gluon 04h17min de 15 de janeiro de 2012 (UTC)
Caro Candidato gluon, acho que a proposta é essa, mesmo: mexer, editar a informação e abrir frentes para a conversa com a comunidade. --Candidato lépton 00h31min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)


Sensação de falta de reconhecimento dos editores[editar]

Comentários feitos por usuário(s) anônimo que ilustram de forma acalorada e passional o tópico acima:

  • Não cresce porque a Wikipedia destrói a reputação de muita gente que trabalhou com afinco enquanto muitos apenas criticavam e atacavam quem produzia. Porque vou produzir alguma coisa se dezenas de oportunistas te atacam e te destroem por mero prazer.
  • Se juntaram em grupinhos no twitter em outras redes sociais. Trocam mensagens infantis e engraçadas pelas redes e vão em bloco na wiki, atrás de quem trabalha, para ganhar status, junto a outros que ninguém nunca ouviu falar, mas que conversam com os chefões da Wikimédia.
  • Muitos criaram páginas onde expõem sue currículos, dizem que falam muitas línguas e não ajudam em absolutamente em nada na wiki. Mas todos são pessoas de elevado caráter nas páginas de destituições, repletos de conceitos e de regulamentos.
  • A Wikipédia despreza quem trabalha e valoriza quem tem apurado senso de crítica e não vale a pena. Interessante é ver meros oportunistas da Wikipédia que viajam as custas da fundação, e nem descrevem na Wiki nada sobre sua participação e apenas agem como meros policiais dentro da Wikipédia. Muitos fiscais e nenhum presta para gerenciar um simples conflito.


Hostilidade da Comunidade[editar]

(cont.) Comentário feito por usuário anônimo:

  • Lutam para trazer professores e quando alguns chegam, se destacam pela estupidez e imbecilidade.
Aproveitando o comentário do nosso participante anônimo, acho que ele ilustra bem a hostilidade de parte da comunidade com os novatos. Como solucionar isto? Acredito que já tenha havido diversas discussões sobre o assunto e eu agradeceria indicações de links a respeito. Candidato gluon 04h17min de 15 de janeiro de 2012 (UTC)
Gluon, os professores chegam com um certo poder que não é aceito pela comunidade, pois eles não possuem uma identidade contruída ali dentro. Abraços, Pietro Roveri 01h11min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Entendi, Pietro. Obrigado pelo esclarecimento. Candidato gluon 03h46min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Falta de conhecimento sobre a possibilidade de edição ou de conhecimento técnico para tal[editar]

  • A edição na Wikipedia exige mais conhecimento técnico do que a participação em outros espaços da Web --Candidato fóton
O que é preciso para uma pessoa se tornar editora da Wikipedia? a) conhecimento sobre a possibilidade de editar; b) autoconfiança (para ter coragem de sugerir uma versão "correta" do verbete) e confiança no outro (para saber que se fizer besteira um colega pode corrigir ou ainda saber que alguém pode editar o seu trabalho de maneira como você não necessariamente gostaria); c) conhecimento técnico de edição em wiki ou coragem/disposição para aprender; d) tempo/disponibilidade; e) interesse; f) acreditar que vale a pena / compensa o investimento; g) ter algum conhecimento que não tenha sido sistematizado/compartilhado; h) uma mínima disciplina / rotina / organização para empreender de fato a edição. --Candidato fóton 23h03min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Eu buscaria separar as naturezas dos problemas: acho que podemos buscar não só dentro, mas também fora da Wikipedia, as razões para o não crescimento. Os problemas 1 (destrói a reputação de muita gente) e 3 (criaram páginas onde expõem sue currículos) levantados, no fundo, poderiam ser sintetizados em "Muitos colaboradores/editores não encontram motivações para colaborar se isso não trouxer benefícios de reputação e crédito"? O problema 2, por exemplo, já é de outra natureza e tem a ver com a questão que levantei na página do candidato: The Web Is Shrinking. Now What? - http://allthingsd.com/20110623/the-web-is-shrinking-now-what. Realmente o mundo entrou pro Facebook e não quer sair de lá. O que fazer? Lutar contra ou tentar usar o Facebook para atrair pessoas a colaborarem com a Wikipedia? --Candidato fóton 14h35min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Eu queria entender melhor as questões 4 ('A Wikipédia despreza quem trabalha') e 5 ('Luta pra trazer professores que se destacam pela estupidez') e questionar também, em relação a (1), se é mesmo a a Wikipedia que "destrói a reputação" das pessoas. Como isso se dá? Como ela consegue destruir a reputação das pessoas?. Sobre a (4): trabalho e senso crítico não andam juntos? Existe de alguma forma essa separação clara entre os críticos e os que trabalham? (não sei mesmo). No caso da (5), o que está jogo? Praticamente todos os professores trazidos se destacam pela estupidez? Quando eles chegam aqui, foram instruídos sobre como funciona, sobre o fato de que a relação professor-aluno ficou dentro da sala de aula e aqui ele deve se colocar de outra forma, ele foi preparado para lidar com pessoas que têm saberes que eles não têm? Podem dar exemplos de fatos ocorridos? Obrigada! --Candidato fóton 14h33min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)

Achei cômico o ponto 2 levantado pelo IP, fóton, você é menina hehehehhe "Obrigada" hehehhehe, foi pega, bom, fóton, consegue pensar em pontos pelos quais a Wikipédia lusófona não têm crescido? E o que atrasa o projeto. Esses pontos levantados são de um IP revoltadinho, e é bem passional. O que você acha? E outros, têm opiniões a respeito. E se tiverem, há soluções? Rodrigo Tetsuo Argenton 15h26min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)

É mesmo, um fóton menina. Pode ser um artigo na Physical Review Letter sobre essa descoberta, rs. Vários bons questionamentos acima. Vamos ver se os outros candidatos partículas tem respostas ou outras perguntas. :) --Everton137 16h59min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Oi Rodrigo, eu sou uma partícula! Portanto, uso "obrigada" ;-) Vale? Você tem total razão que os pontos, como expressos, são passionais. Por isso busquei sintetizar em torno da natureza do problema. Porque também de paixão vive a Wikimedia e boa parte dos trabalhos - especialmente os voluntários. De modo que, apesar de ter sido colocado de maneira pouco sóbria e um bocado infantil, a essência dos problemas pode não ser irrelevante. Pelo menos eu já vi gente que diz que colaboraria se tivesse o crédito. O que me parece confusa - e sem pé nem cabeça - é a ideia de que a Wikimedia acaba com a reputação das pessoas. Mas vai que alguém me explica algo plausível! Estou aqui para ouvir também. Mas vou sugerir outras razões acima. --Candidato fóton 23h03min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Podemos tentar substituir os pontos (1) e (3) pela síntese feita acima? O que acham? --Candidato fóton 23h03min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Sim, concordo. CasteloBrancomsg 10h56min de 15 de janeiro de 2012 (UTC)

Desinteresse[editar]

  • As pessoas não investem seu tempo livre em atividades que não sejam sociais e que representem mais trabalho --Candidato fóton
  • Passividade do leitor. A pesquisa Brazil Readers Survey 2011 indica que a maioria dos leitores (35%) não editam por que estão "felizes em simplesmente ler os artigos". Candidato gluon 04h17min de 15 de janeiro de 2012 (UTC)


Falta de confiança quanto ao conteúdo gerado de forma colaborativa e aberta[editar]

  • As pessoas não acham que tenham algum conhecimento para compartilhar. --Candidato fóton
  • As pessoas não levam a sério uma enciclopédia que poderia ter sido feita por elas mesmas --Candidato fóton
Candidato fóton, em geral, em veria isto como uma razão pela qual as pessoas não lêem a Wikipédia, ao invés de uma razão pela qual elas não contribuem. Se eu entendi corretamente, você está sugerindo que o fato de uma pessoa não levar a sério a enciclopédia, acarretaria o desestímulo de sua contribuição - não só por não confiar no conteúdo escrito por ela mesma como dito acima, mas também - por ela não querer participar de um processo que supostamente estaria abaixo dos seus padrões de qualidade, e portanto, não mereceria sua dedicação. É isso? Só estou tentando entender para categorizá-lo direito. Candidato gluon 04h17min de 15 de janeiro de 2012 (UTC)
Oi Candidato gluon, você tem razão que isso é um motivo para não ler. Mas o ponto é: a) dificilmente alguém que não seja leitor da Wikipedia se tornaria um editor (por desconhecimento, falta de familiaridade e desinteresse - por que 'perder o tempo' com algo que acha ruim?); b) dificilmente as pessoas se associam a algo que não admiram; então a consequência de não fidelizá-lo como leitor é também não o tornar editor. Faz sentido? --Candidato fóton 21h32min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Faz todo sentido, Fóton. :) Candidato gluon 01h38min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Quais outros?

Discussão sobre a segunta parte da pergunta: "Quais são as áreas prioritárias que devemos focar para gerar um crescimento?[editar]

Vou listar algumas. Podemos adicionar outras e mexer também na ordem para definir prioridades. --Candidato lépton 16h14min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)

Embaixadores da Wikipédia[editar]

Incentivar a participação da comunidade estudantil no Brasil aliando a participação presencial de alunos e professores e a tutoria online. Projeto ajuda a trazer sangue novo para o site ao mesmo tempo em que melhora a qualidade dos artigos, na medida em que os participantes deverão ter maior familiaridade com determinados assuntos.

Programa de tutores[editar]

Consiste em designar editores experientes para ajudar editores-aprendizes de maneira que a energia investida seja aproveitada. O programa já existe. Em que pé ele está? Pode ser ampliado? Quais as experiências anteriores?

Parcerias com instituições[editar]

Estimular o uso da Wikipédia dentro de instituições, especialmente universidades. Vejam também parceiros.

Comunicação/Eventos[editar]

Promoção de campanhas direcionadas tanto ao público em geral com o fim de atrair novos editores, quanto para os editores atuais objetivando mantê-los na comunidade e aumentar sua participação. Participação e organização de eventos com a mesma finalidade citada. Candidato gluon 03h55min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Chat via canal IRC com os candidatos[editar]

Caros, proponho uma conversa no canal IRC da Wikimedia Brasil ou da Wikipédia em Português entre todos candidatos e a comunidade da Wikipédia em português (isso inclui toda comunidade lusófona) e da Wikimedia Brasil. Aqui está como usar o canal IRC da Wikimedia Brasil. Já tem candidato usando esse canal para pedir ajuda. Proponho um encontro segunda-feira às 19h. Mas o ideal seria um horário que todos candidatos pudessem, assim como um número razoável de pessoas da comunidade. O que acham? Abraços, --Everton137 13h50min de 13 de janeiro de 2012 (UTC) P. S. se acharem que isso não for atrapalhar a execução da tarefa, pois sei que possuem uma semana. E também acho que poderíamos divulgar a proposta na esplanada, se concordarem com ela. --Everton137 13h54min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)

Eu posso. Mas seria mais viável às 20h. É muito ruim? --Candidato fóton 14h17min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Olá, eu posso em qualquer horário que for mais conveniente para vocês e para os outros candidatos. Candidato gluon 14h25min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Se vocês considerarem uma boa ideia, estarei lá. Será um prazer. Candidato lépton 15h16min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)

Se fizer, devemos depois publicar o log da conversa, para caso alguém não possa ir, e mantermos um registro para pesquisas futuras. E os próprios candidatos usarem o log como referência para alguma coisa. Rjclaudio msg 14h20min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)

Fóton, 20h é um bom horário para mim. Concordo com o Claudio que precisa ter o log. --Everton137 14h29min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Por mim, tudo ok, mas esse encontro não seria contra a ideia de os candidatos interagirem apenas via wiki durante essa semana? Lechatjaune 15h55min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Tb achei estranho. Já estão usando até o irc, e a ideia não era essa. Mas agora q começou ...
Até quarta quase não vou ficar online (só tenho hj livre) então nada de irc pra mim. Rjclaudio msg 16h51min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Fabio, de 7 dias gastar um pouco mais de uma hora conversando no IRC (canal importante, na minha opinião, mas pouco usado pela comunidade lusófona) não me parece uma má idéia, pois qualquer um poderia fazer perguntas aos candidatos, até mesmo após já termos lido seus questionamentos e propostas que estão elaborando (eles tem um longo fim de semana antes de segunda). Poderia até servir para a comunidade ter um feedback deles mais instantâneo. Bem, vamos ver se todo mundo gosta da idéia. O wiki, de fato, tem que ser o moto. Claudio, é uma pena que não pode participar. A idéia da tarefa era só o wiki, mas como ocorre numa página wiki, houve uma proposta de uma atividade com um outro canal, que permite o anonimato e, como falei, pode ser interessante. Mas a comunidade e os candidatos precisam gostar da sugestão e ver se não vai prejudicar a avaliação. --Everton137 16h55min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)
Saudações livres a todos! Gosto bastante da idéia da conversa por IRC. O canal é bastante ágil e pode ser uma boa ferramenta para captar feedback da comunidade no futuro em questões mais urgentes. Como ficamos então? Hoje, as 20h no IRC com os candidatos utilizando os usernames das respectivas partículas? Todos concordam? Estou iniciando as minhas contribuições na discussão agora porque só consegui me liberar da minha agenda na sexta a noite. Pelo que li, a discussão está bastante avançada. Não sei o quanto conseguirei contribuir de fato para a discussão até a hora da conversa, mas de qualquer forma estarei à postos! Estou bastante animada com essa enxurrada de informações e com a possibidade de exercitar de fato uma construção colaborativa. Até breve!--Candidato quark 15h49min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)

IMPORTANTE, PARTÍCULAS Usem o seguinte endereço para entrar no canal IRC. Um de vocês entrou no canal usando um dos clientes recomendados e deu para ver o nome de quem era. Você são partículas, não pessoas. O chat não durará mais que uma hora, a partir das 20h, para não atrapalhar a wiki-tarefa. Quem viciar no IRC, ponto negativo, rs. Página de discussão é sempre preferível. --Everton137 18h58min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)

Log Rjclaudio msg 00h43min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)

Relatoria / Sistematização das questões do Chat[editar]

O conteúdo do chat foi salvo [1] aqui

Ideias[editar]

  • Criar (ou checar se já há) uma página com a história da Wikimedia Brasil
  • Listar contatos e instituições para parcerias

--Candidato fóton 02h38min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)

Questões levantadas / 'provocações' aos candidatos[editar]

  • "Situação hipotética pro futuro: se tivermos organizando o programa embaixadores, ampliar turmas, parcerias com faculdades. tudo organizado, contando com alguns voluntários do projeto. Mas, de uma hora para outra, vários voluntários não podem mais atuar no projeto. Como ficariam as coisas?" (rjclaudio)
  • Por que nós candidatos não fomos para a jaula dos leões (ou, em outras palavras, a própria Wikipedia) para interagirmos lá e sentirmos como é? (rjclaudio e everton137)
  • Ninguém gostou da pergunta do everton137 sobre filosofia? ;-) (everton137)
  • Por que só falamos dos problemas e não das potencialidades da comunidade da Wikimedia Brasil? (Candidato Quark)
  • Será que a comunidade atual está preparada para assumir esse papel de coadjuvante na produção do conteúdo? (Pietro)

Instrumento para Rompimentos de Canais[editar]

Pra que não se sente à vontade com a miscelânia que se torna os IRC, ele é excludente. --200.96.166.112 21h08min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)

Será? Precisamos de dados empíricos para nossas partículas. --Everton137 21h14min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)


Open Source Code Simplified[editar]

Eu separaria as questões de acordo com o proposto em Open Source Code Simplified (na lista de recursos). O crescimento de uma comunidade depende desses três fatores (de acordo com a fonte).

  1. Leitores: Tentar fazer com que mais pessoas se interessem pelo projeto. As pessoas devem achar útil consultar a wikipédia.
  2. Conversão: Eliminação das barreiras que impeçam o surgimento de novos colaboradores. Fazer com que os leitores queiram ser editores também.
  3. Retenção: Manter por perto os colaboradores. Nesse caso, podendo dividir em 2 subitens, um para os novatos e outro para os mais experientes.

Atuar em apenas um deles não seria o suficiente. Dá para ter várias ideias para cada ponto desses. Rjclaudio msg 23h49min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)

Obrigado por chamar a atenção para este texto, Rjclaudio. Ele é realmente muito bom e fornece uma estrutura concisa e fácil de trabalhar para, a partir daí, desenvolver ações mais concretas. Estou incorporando esta estrutura como parte da minha análise. Candidato gluon 00h47min de 15 de janeiro de 2012 (UTC)


Visão geral dos projetos Wiki[editar]

Na strategy.wiki tem uma tabela com uma visão geral dos projetos Wiki. Não lembro qual o link, mas tenho a tabela guardada aqui (em inglês). É uma boa forma de ver várias coisas que afetam os usuários, e por isso são importantes para responder a nossa pergunta. São pontos a serem trabalhados na Wikipédia em escala global, mas dão ideias de ações a serem feitas na wikipédia em português e no Brasil. Rjclaudio msg 23h49min de 13 de janeiro de 2012 (UTC)


Interação com a Wikipédia[editar]

Pessoal, a tarefa está sendo desenvolvida aqui no wiki da Wikimedia Brasil e, na minha opinião, os candidatos vão interagir com poucos wikipedistas. Fiquei pensando de ontem para hoje se não seria interessante, de alguma maneira, levar a discussão um pouco para a Wikipédia, nessa primeira semana, já que a proposta é justamente avaliar o processo de discussão com a comunidade, respondendo uma pergunta sobre a Wikipédia em português. O que acham? Como faríamos isso, se concordarem comigo? Um tópico na esplanada geral? --Everton137 14h09min de 14 de janeiro de 2012 (UTC)

Caro Everton137, acho, sim, que temos de dinamizar o relacionamento com os wikipedistas o máximo possível, mas isso não vai acontecer instantaneamente. Há o período de familiarização com o wiki, depois uma batelada de material para ler. Se vocês considerarem produtivo, seguimos esse caminho. Aliás, deixa eu ver se entendi a proposta: sair dos ambientes mais restritos aos brasileiros para estarmos em contato com os editores lusófonos, é isso? Fico pensando se isso não nos colocaria na posição de ficar interagindo a partir do conhecimento que já temos e perder a oportunidade de mergulhar no conteúdo, que tambem pode ser interessante. Estou lendo o primeiro documento fornecido como recurso e a cada página me deparo com tópicos relevantes. --Candidato lépton 14h20min de 14 de janeiro de 2012 (UTC)
Talvez esteja certo, caro Lépton. Fiquei pensando em vocês manterem o foco aqui e criar um tópico na esplanada para alguma interação por lá. Talvez deixarem alguma sugestão na esplanada no último dia da tarefa, quinta-feira que vem, já que depois haverá essa etapa de uma maior interação com a comunidade wikipedista. Poderíamos continuar só aqui agora até quinta, com um tópico na esplanada convidando os wikipedistas a virem aqui (posso fazer isso), mas a etapa de interação ocorrer por lá, pois acho que poucos virão para cá. Vou esperar a opinião de outros. --Everton137 14h26min de 14 de janeiro de 2012 (UTC)

Ou vocês poderiam mudar a tarefa e fazer algo por aqui... ai aiRodrigo Tetsuo Argenton 15h39min de 14 de janeiro de 2012 (UTC)

Seja audaz, proponha algo. --Everton137 16h54min de 14 de janeiro de 2012 (UTC)
Proponho seguirmos o plano. A tarefa está em andamento, e os candidatos receberam bastante material para ler e uma determinada orientação de discussão. Mudar os rumos a esta altura seria imprudente. CasteloBrancomsg 20h52min de 14 de janeiro de 2012 (UTC)
Essa é minha preocupação, muita leitura. Não acho que precisaria de tando. Interagir com a comunidade me parece bem importante. Menos leitura, menos teoria, mais interação. Ninguém vai resolver todos problemas em uma semana, nem essa é a proposta da avaliação. --Everton137 21h10min de 14 de janeiro de 2012 (UTC)
Criei um tópico lá. Pena que o javascript está com problema, então na aparece na página principal. --Everton137 08h58min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)

Imprudente foi colocar essa tarefa lá... sério. Se quisessem interação com a WMBr, que são as pessoas que eles irão trabalhar, deveriam ter feito algo por aqui. É a realidade. Vocês tiveram que passar 500 mil regras, colocar uma babá para cuidar dos candidatos, sendo que eles poderiam ter feito algo válido, que eles estão acostumados, e vocês conseguiriam avaliar melhor os candidatos... tchau para vocês, e por favor, censurem logo o meu comentário. Rodrigo Tetsuo Argenton 01h11min de 15 de janeiro de 2012 (UTC) PS: Por que essa discussão ainda não está no Meta (olha!! porque é verde não vieram meter pau que está de outra cor, ai ai, crianças. E eu devo ser uma bicha ecochata, já que eu escolhi rosa e verde. Me queimem nazis!!!) ? Rodrigo Tetsuo Argenton 01h21min de 15 de janeiro de 2012 (UTC)

Filosofia e Wikimedia Foundation no Brasil[editar]

Gostaria de saber das opiniões das partículas amigas se vocês acham que a filosofia poderá ajudar no trabalho para a Wikimedia Foundation que farão aqui no Brasil. Caso sim, como? Caso não, por quê? --Everton137 17h25min de 14 de janeiro de 2012 (UTC)

O primeiro que responder ganha um ponto positivo na tarefa e será contado na média final! A melhor resposta ganha dois! --Everton137 18h54min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Caro Everton137, respodendo aqui a já cobrada resposta (e reivindicando o pontinho extra ;-) - dispensável dizer se tratar de brincadeira, não?), partindo da etimologia "amor à sabedoria", eu diria que estar a filosofia é quase o ponto de partida de existência da Wikipedia - e também da Wikimedia. E por se tratar de um campo de estudos sobre o conhecimento, a linguagem, a "verdade", certamente estudos sobre a Wikipedia, seu funcionamento, seus valores, sua ética, sua moral, constitui-se objeto da filosofia. Mais concretamente, é necessário refletir sobre como ela pode efetivamente contribuir para o trabalho da Wikimedia Foundation. Principalmente o campo da Epistemologia seria muito caro à análise do que representa a Wikimedia, bem como à organização das áreas de conhecimento abordadas. Mas gostaria de saber de você e dos demais candidatos também o que pensam. Confesso que, ao me colocar a questão "o que e como desenvolver de trabalho no Brasil para ampliar e consolidar a rede de colaboradores", a filosofia não me salta aos olhos, embora evidentemente seja intimamente relacionada com a iniciativa e me pareça saudável a ideia de parcerias com campos da Filosofia, e seu estudo também para contextualizar o que é a Wikimedia para o conhecimento humano. --Candidato fóton 02h58min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Ponto positivo concedido na forma de uma cerveja! Não gostaria de opinar, pois quero ouvir os outros. Mas opinarei depois. Abraços! --Everton137 03h13min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Perdi a cerveja por pouco! Quem sabe eu ainda posso convencer vocês a compartilha-la ;) Obviamente a filosofia pode auxiliar no trabalho da Wikimedia Foundation no Brasil emprestando sua prática de crítica e constante questionamento de assunções para o estabelecimento dos seus ideiais e valores, em um plano mais abstrato, e para a definição de seus objetivos e metas em um plano mais prático. Afinal, "nenhum vento ajuda a quem não sabe para que porto velejar" (Montaigne). Talvez, neste estágio do projeto possa parecer quase tolo para alguns se remeter a tais questionamentos, mas eu acredito que é sempre importante tê-los em mente e ser capaz de parar e reavaliar suas premissas e valores e ajustá-los às novas realidades. Há de se tomar cuidado, contudo para que esta prática não termine por inviabilizar o trabalho prático, eficiente e engajado, fundamental para se alcançar aquilo a que se propõe. PS: andei pensando também em Filosofias Wiki, mas talvez isso seja forçar a barra na pergunta :) - não que isso não seja uma questão importante. Candidato gluon 04h04min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Olha o Tom colocando as partículas numa fria. "Mas a Filosofia hoje me auxilia a viver indiferente assim." Noel Rosa. Abraços, Pietro Roveri 12h23min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Pô, Pietrão, já pensou se perguntassem qual seria a utilidade da teoria quântica de campos para a vaga? Teríamos a dança das partículas. Vai que encontraríamos o bóson de Higgs? A WMF ficaria bilionária... Aliás, num instituto de física da vida, chegaram a criar um curso com esse nome, "Dança das partículas". Melhor eu não comentar. --Everton137 03h26min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)
Everton137, você se referia às filosofias Wiki?--Candidato fóton 01h20min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Não, me referia à filosofia. --Everton137 23h20min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Opinião pessoal[editar]

Não me considero novato, embora "estatisticamente" possa sê-lo, pois entrei na wiki não tem dois anos. Relendo isso aqui tudo, me preocupo mesmo é com a baixíssima participação da comunidade wikipedista... Não sei se é falta de interesse nosso com o chapter local ou vice-versa, mas é preocupante. Outra coisa que eu vi é uma é uma espécie de "fuga" do tema "qualidade dos artigos". A atração de novatos certamente se correlaciona com a criação de conteúdo "novato" (mal formatado, ruim, copiado, mal escrito e por aí vai). Esta tendência sozinha não me preocuparia, mas junto a isso tudo duas coisas: os lusófonos majoritariamente nos visitam para ler e também entram na internet majoritariamente para ficar em redes sociais. Ora, o resultado não poderia ser mais óbvio: a fama que se cria na wiki é auto-gerada, pois conteúdo de má qualidade espanta leitores e estes, por sua vez, comentam. É grave principalmente quando acontece entre estudantes, pesquisadores e professores, que poderiam ser nossos colaboradores. Atrair novatos é uma variável na equação, mas é preciso trabalhar fortemente na qualidade dos artigos do conteúdo em português em paralelo, tentando colocá-los num patamar que os torne aceitável para a maior parte dos que nos visitam. Estes, por sua vez, passarão a elogiar citar o site e se entra num círculo virtuoso. Lembro que estamos tentando agora arrumar 5.000 artigos de qualidade 3 ou 4 para a wiki-offline e está difícil de conseguir. Imagina conseguir a confiança de professores, pais e alunos por aí? Aparentemente, tem sido mais fácil ensinar inglês pra criançada e usar a wiki-en como "lição de casa", caminho seguido por muitos no Brasil e em Portugal, ou, mais triste, confiar em tradutores automáticos na hora de consultar a wiki. É isso. Jbribeiro1 01h10min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)

Opinião interessantíssima. Gostaria muito de ouvir os candidatos. Como ando pensando bastante no programa de educação, é um tema que me vem muito a cabeça. Depois de vocês opino, caras partículas. E por causa dessa baixa interação dos wikipedistas com o movimento Wikimedia Brasil que propus, ao menos no último dia, por exemplo, um tópico na esplanada. Faz parte da tarefa essa interação com a comunidade. Os candidatos já teriam lido e elaborado seus textos. Colocaríamos os links lá e abriríamos para discussão entre todos. Qual wiki usar não me parecia claro na proposta e não acho imprudente fazer isso, pelo contrário, acho bom. --Everton137 01h21min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Eu não sou candidato a nada, muito menos partícula, mas acredito que temos duas frentes de trabalho principais, atualmente, em relação, especificamente, à Wikipédia lusófona: a primeira seria angariar novos editores (o meio está sendo discutido e é motivo desta tarefa sugerida aos candidatos) e, nessa empreitada, não podemos fugir dos novatos, lembremo-nos que todos um dia fomos novatos, o que significa dizer que para termos editores bem capacitados, que produzam conteúdo de qualidade, precisamos tratar bem os novatos, instruí-los adequadamente, propiciar-lhes um ambiente favorável à produção e acolhedor a novas ideias, novas pessoas (infelizmente, não vejo nada disso acontecendo na Wikipédia lusófona, exceto por algumas ações individuais); a segunda frente de trabalho seria o aumento da qualidade do conteúdo da nossa Wikipédia lusófona e isso pode ser feito de maneiras diversas, o que também já suscitou inúmeras conversas. Cito o programa dos Embaixadores (o nome não é considerado o mais adequado, mas é o que temos para o momento), que já foi implementado com sucesso pela professora Juliana e cuja tendência é a expansão para outras universidades, outros cursos... Com esse programa, conseguimos que os acadêmicos (alunos, professores, pesquisadores etc.) editem a Wikipédia e produzam conteúdo de maior qualidade do que os garotos de 14 anos (como eu fui um dia na Wikipédia; e não pensemos que os garotos não sejam importantes, porque são muitíssimo importantes: têm muito tempo disponível, facilidade para aprender, principalmente para usar ferramentas de edição, o que auxilia bastante no combate a vandalismos, nos programas de tutoria, entre outros, além de dominarem alguns assuntos completamente ignorados pelos mais velhos, como desenhos animados, games diversos e uma infinidade de novidades que pululam por aí). Uma outra maneira de tentarmos elevar a qualidade da Wikipédia é fortalecendo, justamente, o programa de tutoria. Eu fui tutorado e fui tutor por alguns anos e consegui ajudar alguns usuários que, futuramente, se tornaram ótimos editores, produtores de conteúdo muito bom. Disso muito me orgulho, com 15 anos eu ensinava sujeitos barbados a editar a Wikipédia e possibilitava que fossem criados artigos que eu não seria capaz de criar, mas se eu não tivesse intermediado a situação, talvez não seriam criados. A tutoria é muito boa, também, para segurar o usuário recém-registrado por uma tempo maior na Wikipédia. Ele passa a conhecer todo o potencial do projeto e aquele objetivo pequeno que o levou até o projeto (consertar um artigo, criar uma página, uma tradução etc.) dá lugar a uma ideia muito mais ambiciosa (consertar todos os artigos de um tema, criar várias páginas sobre um assunto, realizar inúmeras traduções etc.). Mas tudo isso depende de uma terceira frente que eu chamaria de adicional, sem a qual todo o esforço que se empregue nas duas anteriores não resultará efetivo. Melhorar o ambiente da Wikipédia lusófona: para mim, é o maior calo da nossa comunidade. Não conseguimos ter editores satisfeitos (os que estamos lá por mais tempo somos teimosos, não satisfeitos), não conseguimos criar diálogos produtivos, que não descambem para ataques pessoais, não conseguimos desburocratizar a máquina, tornar as coisas mais fáceis, dando menos pretexto para a cultura da vigilância, um usuário de tocaia esperando que o outro desvie da famigerada regra para dar início aos trâmites legitimados pela atual política praticada na Wikipédia lusófona, sanções, desnomeações, bloqueios, guerras, conflitos inúmeros e de todos as nuanças que tomam dos editores, além do tempo precioso que poderia ser investido nos artigos, o brio, a satisfação, a vontade de colaborar, de ser útil. Parece que nos esquecemos que todos estamos na Wikipédia por um altruísmo puríssimo que temos em algum lugar de nós, mas que logo se esvai quando nos deixamos envolver pela névoa do autoritarismo, do proprietariado, do egoísmo, do mau-humor, da falta de civilidade, que cerra a atmosfera da Wikipédia, nos impedindo de enxergar o que realmente ela é, o que nós estamos fazendo nela, e nos rendemos ao comportamento que tem sido o padrão por aquelas bandas. Sei que é uma tarefa complicadíssima alterar essa ordem das coisas, mas eu guardo a esperança mais sincera de que um dia conseguiremos. Vinicius Siqueira 02h49min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Caro Vinicius Siqueira, muito legal a sua contribuição. Vou fazer alguns comentários pontuais: Sobre novatos - acho fundamental conseguir reter esse grupo de participantes. Perdemos duas vezes: o conteúdo que eles publicam e que é rejeitado e o interesse deles para voltar e continuar participando. Tenho a impressão que custa mais reconquistar uma pessoa decepcionada do que atrair alguém que nunca tenha tentado. Nesse sentido, acho o programa Embaixadores excelente. Também preciso me familiarizar com a dinâmica das tutorias. Tentei ser contribuinte da Wikipedia e sinto que seria muito util suavizar/simplificar o processo de entrada. Melhoria de qualidade- Fiquei com a impressão que este segundo item passa pelo primeiro também. Você citou o programa de embaixadores, tutores, a recepção aos adolescentes cheios de energia. No final, fico com a impressão que a Wikipédia lusófona pode estar sofrendo de algo correspondente àquelas doenças auto-imunes nas quais o próprio corpo ataca a cura. Será que a questão não pode ser formulada da seguinte maneira (tirando o problema da lógica da disputa): os aprendizes não são bem recebidos porque suas contribuições são avaliadas junto com vandalismo e outras contribuições mal-intencionadas. Isso acontece porque os editores experientes não conseguem dar conta de processar esse tipo de conteúdo e ainda ter tempo para dar o algo mais de atenção ao aprendiz. O resultado é que a situação se perpetua porque não aparecem novos editores. Faz sentido? Ambiente viciado - Acho que essa situação faz parte do convívio comunitário. O pensamento tecno-utópico por trás do entusiasmo pela internet faz uma leitura superficial e romantica sobre o que sejam as comunidades. Quem já tiver vivido em uma cidade bem pequena ou em uma aldeia indígena sabe da quantidade de energia que se deposita em fofocas, intrigas e manipulações. Acho que, em um certo sentido, dar atenção demasiada a isso é, em si, fazer com que isso cresça de tamanho. Trollagem não é "privilégio" do ambiente wikipedista. Ainda assim, acredito que a gente possa, sim, pensar juntos em maneiras para reduzir a hostilidade. A realização de encontros presenciais é um santo remédio para grupos se humanizarem. Há técnicas de conversação que podem, inclusive, potencializar essas situações, tipo World Café ou Open Space. Em síntese: a gente pode passar o tempo "combatendo o mal", mas podemos também investir esse tempo em identificar e incentivar as iniciativas boas, que contribuam para tornar o convívio mais harmônico. Isso é um grande desafio. Mais do que fazer uma grande enciclopédia, o que precisamos aprender é como a gente se educa para conviver nessas situações. --Candidato lépton 15h15min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)

cachorro mordendo o próprio rabo

Estou até feliz que não temos mais wikipedistas como você trabalhando junto à WMBr, deletar ao invés de melhorar, reprimir ao invés de incentivar não é Wiki, então você não sabe o que é, logo desconsiderarei sua opinião, pode falar falar falar, mas continua sendo zero. Está procurando o projeto errado, o que você quer implantar já existe chama-se Citizendium, sinta-se "reprimido" para ir para lá, se eles considerarem que você tem capacidade para isso, será que foi esse o ponto? Foi excluído de lá? Desculpe pelo ataque pessoal, mas esse usuário não merece meu respeito. Rodrigo Tetsuo Argenton 03h54min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)

Jbribeiro1 e Vinicius Siqueira, acho que as questões que vocês levantaram são extremamente importantes. A questão da qualidade mencionada por Jbribeiro1 realmente não pode ser deixada de lado e precisaremos desenvolver estratégias para aumentar a qualidade dos artigos da Wikipédia. Tenho a impressão que o Global Education Program auxiliará neste processo de aumento da qualidade e tenho confiança de que trazer a Wikipédia para as escolas trará vantagens enormes não só para o ensino, como também para o aumento da qualidade dos artigos. Se algumas experiências passadas com professores e alunos foram mal sucedidas, isso não quer dizer que o projeto também será. Muito pelo contrário, se bem implementado, acho que pode gerar efeitos surpreendentes. Quanto às outras linhas de ação sugeridas pelo Vinicius: as pesquisas que lemos mostram que as principais barreiras para que novatos contribuam são o desconhecimento tanto da possibilidade de edição, bem como das ferramentas para tal. Assim, a tutoria me parece ser uma das prioridades para o programa no Brasil, se queremos atrair mais editores. Imagino que já devam existir iniciativas como essa em andamento – como o tutor que é atribuído automaticamente quando se cria um perfil de usuário. É mesmo tutor? Como funciona o programa de tutoria? Seria interessante saber o que já existe e se há impressões sobre ele. Isso varia de a acordo com cada tutor ou há uma certa padronização – além do que já existe na página de ajuda? O último ponto mencionado pelo Vinicius é um dos mais delicados e devo dizer que apesar do pouco tempo em que estou inserido aqui no ambiente da comunidade da Wikipédia já foi possível perceber algumas tensões nas discussões. É claro que quando nos dedicamos muito a um projeto e quando damos muita importância a ele, naturalmente há uma tendência a ser passional, especialmente, por que é o próprio suor de cada um que está ali. Então, entendo que algumas críticas quanto à qualidade dos artigos podem ser mal interpretadas e consideradas como ataques pessoais. O problema é que no fim das contas isso acaba por realmente afastar os novos editores que, se antes de começarem a editar não o fazem por insegurança de cometer algum erro, depois do primeiro sinal de hostilidade, não voltarão mesmo a contribuir. Nessa linha, é fundamental conscientizar a comunidade atual de que o projeto não perdurará sem que novos membros se juntem e que se sintam à vontade em contribuir. O problema maior obviamente é como fazer isso. Tenho certeza de que isso já foi tópico de diversos encontros presenciais e online da comunidade, então sugestões de como desfazer este quadro não devem faltar e seria ótimo, ter acesso a eles. Já ouvi, por exemplo, a sugestão de se criar incentivos para os editores tratarem novatos e outros membros de forma civilizada e cooperativa, tal como a criação um sinal de “legal” (não sei se o nome é esse, mas é aquele em que você coloca o polegar pra cima com a mão). Uma outra alternativa que poderia ser adaptada – e que eu já vi ser discutida em um outro projeto de produção colaborativa – seria o uso de insígnias diversas que poderiam ser atribuídas aos editores. Levem essa sugestão com toda a cautela necessária, pois elas não poderiam ser transpostas sem uma adaptação grande. Só quero levantar aqui neste último ponto a ideia geral de criar mecanismos para incentivar a bondade e a civilidade. É claro que enviar caixas de chocolates a todos seria o ideal :) Candidato gluon 06h27min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Rodrigo Tetsuo Argenton, não entendi muito bem a qual comentário você está se referindo. Ao ler as opiniões acima, não vi nenhuma menção à exclusão de artigos ou mesmo repressão. Concordo em número, gênero e grau que melhorar artigos e incentivar colaboradores deve ser a conduta a se incentivar, mas não entendi ao que você está fazendo referência. De qualquer forma, sei que sou um novato aqui, mas como a tarefa envolve discutir tudo, será que a forma que você utilizou para expressar o seu ponto não pode denotar um dos problemas da comunidade que o Vinicius comentou? Candidato gluon 06h27min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)

Ahh gluon, desculpe, precisaria conhecer o Jbribeiro1 para entender o que eu estou falando, ele é um do wikipedistas da nova leva, burocratizador, tem orgulho de dizer que excluí toneladas de páginas, e acha que os voluntários têm se ser altamente qualificados para editar, não aceita erros de novatos, e não aceita novatos que errem. Ou seja, acha que e a Wikipedia é o Citizendium.
Quanto aos seus pontos:

  • Há insignias desde sempre, e é uma forma de carinho mecânico, você desumaniza o processo de agradecimento, não acho tão interessante.
  • Outro ponto, não há voluntários capacitados suficientemente para atender os novatos, tem candidatos à administradores, e administradores, por exemplo, que não sabem o que é o Movimento Wikimedia e seus valores, não sabe o que é uma licença livre, e temos vários outros voluntários que editam sem saber essas coisas básicas, então como pode auxiliar em algo que não sabe?
  • Em verdade a própria WMF errou incentivando o uso de robôs para tratar novatos, hoje uma das primeiras interfaces que o novato recebe é uma mensagem pré-definida, ou de que ele foi um vândalo, ou se ainda não errou, uma lista de regras e normas que deve ler, ao invés de "nós buscamos um mundo onde todos..." "nosso modo de trabalho é a através da construção colaborativa livre..." até porque hoje a construção está cada vez menos colaborativa e menos livre. E eles já veem mentindo no seu bem-vindo "Os editores trabalham em harmonia, respeitando as diferenças e administrando divergências por meio do diálogo construtivo." ¬¬, isso não é wp-pt (wikipedia pt), e fora a obrigação de ler as regras : "para começar a editar: não deixe de ler", na página principal não tem o objetivo daquela bodega...
  • Minha resposta para a pergunta seria algo como põe fogo em tudo e traga novos voluntários que saibam o que é altruísmo, construção colaborativa, movimento livre, que não se preocupem com números, números de edição, números de artigos destacados, número de pessoas na sua panela... Rodrigo Tetsuo Argenton 16h56min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Pontos excelentes para o debate. Particularmente, acho que a frente de mobilização de professores e membros da universidade é sim fundamental para a melhoria da qualidade de conteúdo. Mas não só. Concordo que, além disso, é importante investir também na formação da cultura colaborativa dentre os mais novos - como levantou o Vinicius Siqueira. Tecnicamente, eles naturalmente têm mais facilidade de aprender a utilizar a ferramenta e culturalmente já têm mais predisposição para publicar e compartilhar informação sem medo. Mas isso não significa que tenham uma postura colaborativa - a exemplo do que disse o Rodrigo Tetsuo Argenton. As frentes possíveis:
* Investir na rede de professores universitários e estudantes de graduação e pós graduação para a produção de conteúdo, como já vem sendo feito e planejado pela Wikipedia.
* Investir no público aposentado de conhecimento qualificado - eles têm mais tempo livre que os adultos profissionais na ativa e têm bastante conhecimento acumulado. O mais difícil aqui é como chegar neles (não consigo imaginar o INSS mandando uma cartinha "colabore com a Wikipedia" ;-) ). De qualquer forma, eventuais atividades por meio de empresas que mantêm contato com seus funcionários aposentados e campanhas amplas na rede e na mídia podem surtir efeito? O aposentado recente não sabe como se sentir útil e ocupar seu tempo. E, ao mesmo tempo, já não é mais apenas aquele perfil que não sabe usar computador ou internet de uns 12 anos atrás.
* Jovens, adolescentes: incentivar nas escolas a leitura crítica de conteúdos na internet de forma geral e a sistematização e o compartilhamento do conhecimento adquirido (o NAVE NAVE, por exemplo, tem projetos assim).
* Grupos específicos que se deseja estimular: de acordo com o planejamento, mulheres por exemplo. Atuar com formação, capacitação e incentivo. Como? Grupos de mulheres, 'campeonatos'/prêmios (?) com categorias específicas (as polêmicas políticas afirmativas, mas que, apesar dos problemas, tendem a estimular processos), visibilidade.
Apesar de concordar que o altruísmo é fundamental no compromisso com a Wikipedia, acho que o que motiva internamente cada um dos colaboradores é mais que isso: é o desejo de sentir-se útil, de interagir em um ambiente em que cumpra um papel, e isso, de alguma maneira, tem que ser reconhecido. É claro que não há prêmios para todo e qualquer colaborador - ou então o caminho seria a profissionalização de todos na contramão da proposta da Wikipedia (e também insustentável). Mas os processos podem contemplar diferentes formas de reconhecimento e de sentimento de identidade e orgulho, não? Pergunta: esse tipo de coisa motiva mesmo os mais compromissados? Ou vocês acham que o bom colaborador tende a ser mais altruísta? --Candidato fóton 21h20min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Quanto ao enfoque nos aposentados, também concordo que seria um grupo ótimo para se trazer para a Wikipédia. Tenho pensado em quais grupos deveriam ser prioritários e eles seriam um. Por outro lado, quando vemos na pesquisa de 2011 que nenhum colaborador tem mais de 65 anos, percebemos que talvez a questão do analfabetismo digital ainda seja sim uma barreira grande para inserção deste grupo. Isso é comprovado com os dados da CETIC, que mostra que dentre os usuários com mais de 60 anos somente 6% já acessaram a Internet. Candidato gluon 21h54min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Nós temos, na Wikipédia, um grupo de usuários da terceira idade que são bastante atuantes, tanto na produção de conteúdo quanto nas tarefas administrativas (não sei se temos, atualmente, administradores idosos ou próximos disso, mas já tivemos). Eles compõem um grupo muito importante para nós, assim como os jovens, justamente pelo fato de também terem tempo disponível, além do conhecimento e experiência acumulados. Em situações anteriores, já pudemos verificar que a falta de habilidade com a máquina e com alguns processos mais complexos e delicados do projeto chegou a criar problemas que culminaram em discussões homéricas. Eu acredito que se fizéssemos algum trabalho em cursos de informática especializados em idosos (existem alguns, inclusive, aplicados por alguns SESCs) ou em grupos de convivência da terceira idade, poderíamos atrair a atenção de alguns. Os estudos da gerontologia dizem que o processo de envelhecimento, muitas vezes, leva à depressão e a outros males agravados e/ou despertados por um sentimento de perda da utilidade. Devolver a essas pessoas a auto-estima por meio da produção colaborativa seria uma forma maravilhosa de darmos mais uma contribuição à sociedade e colhermos, com isso, frutos benéficos para o projeto. Particularmente, interesso-me muito por esse grupo e adoraria me engajar numa atividade a ele relacionada. Vinicius Siqueira 04h06min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Vinicius Siqueira, queria poder clicar em um botão +1 ou "curtir" para esse seu comentário. Na falta disso, quero dizer que concordo plenamente e apoio integralmente a iniciativa. :)
Pontos de vista interessantes, Rodrigo - com exceção do "põe fogo em tudo", por que este não dá ;). Minhas reações a cada um dos seus pontos na ordem, então são as seguintes:
  1. Qual seria uma forma de fazer com que os editores se sintam valorizados? A pesquisa dizia que a principal motivo que os fariam se sentir valorizados seria "ver que seu trabalho é útil" e de fato o trabalho de todos os editores é extremamente útil - não vou entrar nas divergências internas e nos casos anômalos. A questão é: como fazê-los perceber isso? Investir em campanhas em que mostrem como o conhecimento da Wikipedia muda(ou) a vida das pessoas? Tenho certeza de que existem milhares de histórias pelo Brasil afora de gente que tem muito o que agradecer ao trabalho dos colaboradores da Wikipedia. É uma questão de tão somente mostrar isso a eles? O que mais seria preciso?
  2. Então a solução seria investir no programa de tutoria que o Vinicius mencionou. Neste programa, teríamos que incluir um forte componente sobre o ethos da comunidade. Talvez pudessemos até fazer algo através do p2p university. Faz sentido? Tenho certeza de que não faltam ferramentas e alternativas para isso.
  3. Hm, eu confesso que achei que o processo de automaticamente designar um tutor para um novo usuário fosse algo bom, em princípio, mas se fica somente no robô e nada mais acontece, realmente não faz muito sentido.
  4. Remeto ao comentário 2 acima e à ressalva da minha primeira frase :)
Candidato gluon 04h32min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Saquei "particularmente", pois você é uma partícula, ah ah? Não? ok... Sim, eu acho que voluntários altruístas seriam melhores voluntários, pois esses não se motivam por ego ou status, que gera muitos dos atuais problemas, busca por reconhecimento, que porcaria é essa? Faça sua parte para algo que você acredita. Mas esse voluntário, bom, digamos que é raro, então dar um "obrigado" também não custa. Sobre sentir se útil... não gosto desse tipo de voluntário também, muitas vezes a necessidade de sentir-se útil vem da culpa por não estar fazendo nada, então é uma contribuição egocêntrica, e exige que você o trate como um mártir, pois tudo que faz deve ser visto e reconhecido para que sua culpa se esvaia. Que é muito diferente te um voluntário altruísta que são normalmente os carregadores de piano, pois vão fazendo as coisas, mesmo que os outros não o deem luz, ou ajuda.
Exato (ref."particularmente")! Rodrigo Tetsuo Argenton, eu concordo e discordo do que falas. Concordo porque também tenho mais empatia com os voluntários que visam a missão, que fazem porque acham importante, e ponto. Nem é necessariamente um altruísmo na minha visão. Fazem porque podem, querem e acham importante fazer - apesar de todo o trabalho. Mas, no fundo, tanto esse cara/tipo, como o cara que colabora aqui e quer ganhar um doce, são todos seres humanos. E nenhum de nós deixa de ter algum sentimento considerado mesquinho, algum ego, alguma carência. Acho que partir desse ponto, evitando classificar os tipos de colaboradores entre os de melhores motivações e os de motivações menos "nobres" pode ser interessante, não? Isso importa menos do que a contribuição e o comportamento objetivo. Na real, eu entendo o que você está falando, mas de todas as comunidades com que lidei e de todos os coletivos de que fiz parte, não vi um só que não tivesse os mais diversos tipos de pessoas motivadas por diferentes razões - e pela minha experiência acho que a tensão diminui muito quando se foca no que se faz e não nas intenções de fulano com aquilo. Enfim, é o que penso. Sobre o cara que quer se sentir útil: não acho que seja necessariamente porque tem uma culpa X ou Y - pode ser apenas estar acostumado a sempre fazer algo da vida e, de repente, acorda, toma café, vai caminhar, lê jornal e, quando olha no relógio, são 10h. --189.45.138.174 18h03min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Quanto aos idosos, temos alguns pontos, a escolaridade de nossos idosos é em média menor que a dos atuais padrões, escrever um texto, mesmo que a mão é uma epopeia para alguns, temos também o problema já levantado do analfabetismo digital, que esse podemos sanar com parcerias. Entretanto, idosos são mais melindrosos, e Wp-pt é um ambiente muito hostil... não acho que o nosso foco para eles seria esse e sim mais matérias na WikiNews, ou manuais de seus oficios ou hobbies no WikiBooks.
Acho o potencial de mudança não é tão relacionado com sentir se útil, e sim com ver resultados, que é importante para qualquer tipo de voluntário e contribuidor, isso incentiva todas as camadas de voluntariado, até mesmo os que se focam em si, e estava com um projeto que é muito simples, vídeos, criam-se vídeos mostrando o por trás e o potencial de mudança, que dentre os projetos do Movimento Wikimedia, a Wikipédia é um de pouco potencial, Wikiversidade, Wikimedia Commons, Wikibooks, Wikinews, têm nessa ordem, a meu ver, muito mais potencial que a WP.
E acho que um dos erros da WMF é o pediacentreismo; ser a maior não significa melhor, não significa que é o que causa mais impacto, tanto de mudança como midiático, em conversa com um funcionário que me disse que o impacto da WP é maior, e a minha resposta foi o que é mais impactante "O Movimento Wikimedia conseguiu criar uma enciclopédia lusófona de alta qualidade, equiparável à qualidade alemã" ou "O Movimento Wikimedia conseguiu criar um curso com recursos educacionais livres, que a aplicação dele permitiu que crianças que vivem em estado de miséria conseguissem ter um ensino de qualidade, possibilitando a saída delas do estado de mazela."? Brasil não é EUA, nós temos que olhar por esse lado se quisermos um mundo onde todos compartilhem livremente ...
WMF tinha que ser menos empresa e mais Fundação, não precisam vender mais a Wikipedia, precisam mostrar para que ela existe, incentivar os projetos com maior potencial a ter mais potencial, isso traz voluntários melhores, traz mais contribuição, mais penetração. E trabalhar melhor essa parte, a marca é forte, mas ninguém sabe os valores, não é explicito ao público e aos próprios voluntários. E o pior, eu posso provar que consigo trazer 3 vezes mais pessoas só dizendo a motivação, o objetivo pelo qual ela existe, ganhei argumentações só com isso. "É a Wikipedia é uma bosta, para que ela serve se não ser um site cheio de nerd" "A Wikipedia não é um site é uma comunidade que busca um mundo..." "oO' desculpe, não sabia"
É isso, cansei também de escrever sobre Wikipédia lusófona, tem projetos muito melhores e menos problemáticos. Rodrigo Tetsuo Argenton 05h52min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Não sei o que o Rodrigo ama mais, a cor rosa ou a Wikipédia. (Calma, Rodrigo, leve na esportiva.) --Everton137 03h41min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)

Eu gosto de rosa, e não vejo problema nisso, mas vejo problema em pessoas ditas cultas ridicularizem isso, vejo problema também em piadas quando deveria dar opiniões sérias, ou quando tentam desqualificar outros usuários com ironias e eu estou calmo, pois não me importo mais, parabéns, você foi uma das pessoas que me fez perder o interesse pelo projeto. Rodrigo Tetsuo Argenton 08h10min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)

As partículas estão desintegrando?[editar]

As partículas começaram com gás total. Foi só passar um finalzinho de semana que perderam o pique? Churrascão das partículas desanimou? Ai, ai, ai, cadê o ânimo dos futuros diretores nacionais?! Ou não estão pensando alto como wiki-pessoas costumam fazer? Lembrem-se que em uma semana não acharão a resposta para todos problemas da Wikipédia e outros projetos wiki da WMF. ;)--Everton137 18h53min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)

O meu fim de semana imerso na wiki foi bastante animado tanto nesta página de discussão quanto nesta aqui :) Sugestões e comentários são bem-vindos. Estamos confirmados para a conversa via IRC hoje? Será às 20h?
Estou acompanhando, glúon. Você deu uma animada legal! Gostei de ver. Uns chegaram tarde, outros perderam o gás... Sim, confirmado. Mas se não houver muita gente, não faz sentido, pois eu já conheço vocês, hehe. A idéia era mais a comunidade participar de uma interação um pouco mais rápida com vocês. --Everton137 19h03min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Eu tive uma segunda-feira insana e um domingo de leituras e organização da casa. Estou retomando agora. Consegui chegar em tempo do chat. Estou disponível. --Candidato fóton 20h59min de 16 de janeiro de 2012 (UTC) 20h47min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Você esqueceu de se logar, partícula :) O chat será às 20h. Candidato gluon 20h51min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Valeu! Sou Foton. Na área. --Candidato fóton 20h59min de 16 de janeiro de 2012 (UTC)
Caro Everton137 Positivo e operante. Acho que muita coisa rolou durante o fim de semana. É que há um trabalho que aparece menos, que é ler o material. A gente tem muita coisa com o que se familiarizar. Há o esforço de estar presente aqui, há o esforço de organizar o pensamento (e a edição) para ele ser inteligível a outros, há o esforço de acompanhar o que está acontecendo nas muitas frentes de conversa. Há muito acontecendo, mas em muitos lugares diferentes ;-) --Candidato lépton 19h44min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)

┌─────────────────────────────────┘
OK, estava só querendo ver se estam espertos. Hehehe. --Everton137 03h22min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)

Mapeamento inicial de Parcerias Estratégicas[editar]

Levei suas sugestões para a página de discussão sobre os parceiros. --Everton137 03h21min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)

Fora de tópico: SOPA[editar]

No dia 18/01, vai acontecer em todo o mundo e no Brasil também a campanha contra o projeto de lei denominado SOPA (Stop Online Piracy Act). No Brasil, o movimento ganhou a alcunha e hashtag #SOPABlackoutBR. Vai contar com adesão de blogs, sites etc, ficando fora do ar por um tempo. O objetivo é protestar contra o projeto de lei que visa a combater à pirataria mas tem efeitos colaterais (vigilantismo, penalização da cultura livre, entre outros).

E o que o Brasil tem a ver com isso? Muitos sites estão hospedados em servidores norte-americanos e sites como Facebook, Google, Twitter estariam submetidos ao SOPA.

Mais informações:

--Candidato fóton 04h13min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)

Será q perguntar a opinião das partículas sobre esse blackout foge do tema da seleção? Não tanto sobre o sopa, pq aí foge mt, mas sobre esse uso da wikipédia. Rjclaudio msg 11h58min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Acho que você está correto, Rj, tem tudo a ver. Abraços, Pietro Roveri 12h11min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
quando se trata de comunidades, é sempre delicado esse tipo de decisão, porque, de um lado, entendo que a direção da Wikimedia e a filosofia da Wikipedia seja bastante coerente com uma ação de protesto contra o SOPA. O que não quer dizer que isso represente o pensamento de todos os colaboradores da Wikipedia necessariamente. Quanto tempo leva um processo de consulta global? Mas acho que a omissão, em muitos casos, também prejudica (a organização fica meio pastel). Vocês têm visto manifestações de colaboradores / editores contrárias ao protesto? --Candidato fóton 14h10min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)
Pessoalmente sou a favor do protesto. No caso da Wikipédia, acho que a Fundação deveria fazer a recomendaçao de procedimento para as diversas comunidades decidirem. Acho fundamental que haja o envolvimento dos voluntários no processo de decisão. --Candidato lépton 19h27min de 17 de janeiro de 2012 (UTC)

Discussão na Wikipédia[editar]

Partículas, aqui está a discussão na Wikipédia sobre a SOPA. Divirtam-se. --Everton137 03h45min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)

Aliás, comparem os artigos em inglês e português. Imaginem só, eu havia sugerido colocá-los num time do I GP Wikimedia Brasil como tarefa. Seria bem legal. Hummm... Não vou sugestir como experimento vocês melhorarem juntos o artigo sobre a SOPA em português, vai que alguém compre a idéia. --Everton137 04h02min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)

Diretor, consultor, coordenador... é só um nome?[editar]

Candidatos, a partir do que entendem quais serão suas funções nesse emprego da Wikimedia Foundation que estão concorrendo, acham que o nome do cargo tem alguma relevância? Diretor nacional, consultor nacional ou coordenador do programa nacional faz alguma diferença? Vêem algum outro nome mais adequado? O que serão vocês, afinal? --Everton137 03h10min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)


Olá, Everton137, a mim chamou a atenção quando vi a tarefa para a "Consultoria" ao Programa Nacional do Brasil. A meu ver, não se trata de uma consultoria. Porque a consultoria, a meu ver, pressupõe um processo por um tempo determinado em que se apresenta um problema e o consultor deve estudá-lo, propor uma solução, e se mandar, deixando que o "cliente" execute e implemente a solução. Não sei se de fato consultorias se resumem a isso, mas é isso que vem à cabeça quando usamos o termo. Segundo a própria Wikipedia, Consultoria "é a atividade profissional de diagnóstico e formulação de soluções acerca de um assunto ou especialidade". Entre coordenador e diretor, eu, sinceramente, vejo pouca questão. Claro que há diferenças e que o termo diretor pode enfrentar resistência na comunidade - porque quem "dirigiu"/esteve no volante até hoje tocando a Wikipedia foi a comunidade. Mas não deixará de ser se houver um diretor da Wikimedia no Brasil necessariamente. Acho que, inicialmente, pensaram em um diretor porque em geral esse tem responsabilidade legal pela instituição perante parceiros, conveniados, etc. Tem mais autonomia para desenvolver e selar parcerias, contratos etc. O coordenador, em geral, planeja, organiza, implementa, monitora, ou seja, coordena as atividades de uma área (ou de uma instituição). Mas geralmente não a representa legalmente. Ao abrirem um escritório no Brasil, precisa-se avaliar se ele terá um estatuto próprio, ou se ele não terá um estatuto independente da "matriz", e será considerado uma espécie de "filial". Esse é um papo que não apareceu na entrevista, mas sobre representação legal, eu perguntei em alguma das entrevistas (não me lembro agora se por telefone ou pessoalmente) e haviam me dito que o cargo presumia, sim, essa função. Toda instituição precisa de um representante legal para poder assinar contratos. O padrão é que essa pessoa ocupe um cargo de diretor, mas acho que não há impedimento legal para chamá-la de coordenador no caso de uma formulação estatutária independente. O mais importante não é o nome dos cargos, mas estabelecer claramente suas funções. Eu não vejo esse cargo como uma coordenadoria da comunidade, vejo esse cargo como uma posição para coordenar e implementar as atividades da Wikimedia no Brasil, de forma articulada e em parceria permanente com a comunidade. Acho que, pra fora, para parceiros que não são da comunidade, o nome "diretor(a)" passa mais confiança, autonomia, responsabilidade e credibilidade. Mas se a comunidade entender que a existência de um diretor seria uma afronta ao espírito colaborativo da Wikipedia, é necessário pesar e ver se isso compensa. Há casos de instituições com mais de um diretor (diretor executivo, diretor institucional, diretor financeiro). A ideia de se ter um "representante da Wikimedia no Brasil" é ruim? (a expressão também geraria outros problemas, como "os membros da Wikipedia não representariam mais o projeto?"). Enfim, falei um monte e não ajudei muito, mas acho que é algo pra se decidir junto com a Wikimedia e com a comunidade - bem como com elementos mais concretos (como se dará a instalação da pessoa jurídica concretamente no Brasil, sob que bases legais e estatutárias, etc). --Candidato fóton 23h51min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)

Caros, o tamanho desse processo, que envolveu a contratação de um escritório internacional de headhunting, publicação de anúncio de página inteira em revista, que inclui a vinda de um representante da instituição contratante dos Estados Unidos para fazer entrevistas e que enviará o(s) candidato(s) finalista(s) para uma entrevista final fora do país é para a contratação de um diretor. O termo diretor não se refere à sua posição frente à comunidade - que é livre e independente - e sim perante a WMF, que é escalonada usando essa terminologia institucional - veja aqui. Acho que esse nome tem uma função de identificação da responsabilidade da pessoa frente à instituição. Entrevistar ou fazer uma reunião com "o diretor da Wikipédia" tem um peso diferente de entrevistar ou se reunir com "o coordenador da Wikipédia". Para a comunidade, acho que é mais importante ter um diretor que acredite e aja dentro do espírito de cooperação e entendimento do que a situação contrária: a pessoa ter outro título, mas agir de forma autoritária. --Candidato lépton 01h12min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Concordo que o nome vá fazer diferença na facilitação de reuniões e no acesso a outras instituições. Ter um representante formal no Brasil, ainda mais com a nomenclatura de diretor passará uma imagem de legitimidade para os parceiros no desenvolvimento dos projetos. Eu não concordo com esse tipo de postura, mas é a realidade. Se é assim, que isso seja usado em benefício do projeto e da comunidade. No dia-a-dia da organização e da relação com a comunidade, creio que o nome não fará diferença. Fato é que este cargo, independentemente do nome, herdará e incorporará as impressões que cada editor tem da própria WMF e isso deve ser levado em consideração na relação com a comunidade. Tendo passado por uma organização extremamente aberta e horizontal, percebi que o nome dos cargos não dizem nada e só servem para a imprensa e para outras empresas - na organização em questão, cada um podia escolher o nome absurdo que quisesse para seu cargo :D. Na prática, o que importa são as funções, o carisma, a competência e principalmente o tipo de visão e identificação com a missão da organização que cada um tem. Candidato gluon 04h15min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
O nome do cargo tem relevância para abrir portas sim, principalmente em empresas, instituições e governos possuem cultura hierárquica. Mas o fator determinante para abrir as portas certas com facilidade é a soma das seguintes características de quem irá exercer o cargo: 1- reputação, 2- rede de relacionamento pessoal e profissional, 3- poder de convocação e ser legitimado pelos membros da comunidade Brasil como seu representante e porta-voz (o que , por experiência própria, nenhum título ou cargo por si só garante). Minha sugestão é adotar Diretor de Engajamento da Comunidade Brasil - Fundação Wikimedia --Candidato quark 14h40min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Escritório e colaboração: o que ocorrerá após o processo seletivo?[editar]

Candidatos, temos quatro de vocês concorrendo a uma vaga. Uma das idéias da WMF é montar um escritório com um time, inicialmente com uma pessoa responsável para formar esse time. Já ouvi comentários sobre 3 a 5 pessoas nesse escritório, sem especificações do que cada um faria. E vocês, o que fariam? Sendo o diretor/coordenador/consultor nacional da WMF no Brasil, quais outras funções veriam como importantes para ampliar os projetos da WMF no Brasil? Quantas pessoas seriam? Como vocês idealizam esse escritório que será liderado por vocês? Quais seriam suas funções? Qual a relação com a Wikimedia Brasil? Como escolheriam o local? Muitas perguntas, eu poderia fazer mais, mas gostaria que abordassem o que acham mais importante aqui nas suas opiniões.

1) Quais outras funções veriam como importantes para ampliar os projetos da WMF no Brasil? O primeiro passo, antes de montar a equipe, será conhecer a operação da WMF e me familiarizar com a comunidade de voluntários da Wikipédia lusófona. Essa semana foi muito instrutiva, mas há muito material ainda a ser lido. Também quero estabelecer um canal de interlocução com a comunidade de maneira a podermos conversar continuamente. Vou precisar entender como a WMF funciona, quais recursos humanos e tecnológicos estão à disposição e, se possível, estabelecer contato com representantes da WMF em outros países. O passo seguinte deverá ser trazer uma pessoa para trabalhar junto com a comunidade e sua primeira tarefa será identificar oportunidades de ação para resolver os problemas que estão limitando o crescimento da comunidade de voluntários. Dois projetos que ela poderá desenvolver serão a ação de tutoria para melhorar a qualidade da participação de novos editores e a coordenação da produção de tutoriais práticos e objetivos, de preferência em vídeo, para facilitar a vida de quem quiser participar da comunidade. Considero esse o ponto crítico a ser atendido para, então, abrir frentes de cooperação com instituições ligadas à educação e à cultura. Há, aqui, outra vaga a ser ocupada por um profissional capaz de identificar e planejar parcerias que levem a cultura da Wikipédia para ambientes de aprendizado e de produção de conhecimento. Eu gostaria de ver um projeto-piloto com um centro universitário sendo posto em funcionamento em seis meses e um plano de replicar a ação em dez ou doze instituições no prazo de um ano. Na medida em que uma parte significativa da Wikipédia está relacionada ao desenvolvimento de código - para expandir o funcionamento do wiki, por exemplo - acho que será importante ter na equipe um programador que tenha acesso e acompanhe as ações da WMF nesse âmbito de maneira a que a comunidade lusófona esteja representada e possa participar de sua condução. É essa a sequência de contratação que eu proporia neste momento. 2) Como vocês idealizam esse escritório que será liderado por vocês? Como escolheriam o local? Podendo escolher um espaço de trabalho, eu recomendarei um ambiente de coworking como o The Hub em São Paulo. O elemento principal desses espaços é sua disposição: o espaço é aberto, sem paredes, de maneira que as pessoas e as organizações podem conviver, se conhecer e criar projetos em conjunto. Gosto especialmente do The Hub por ser um espaço que reúne empreendedores ligados à área de responsabilidade social. O espaço fica na Bela Vista, é de fácil acesso por metrô e ônibus, e o ambiente interno não tem a pompa dos escritórios de empresas, mas dispõe de toda a infraestrutura necessária para se trabalhar. 3) Qual a relação com a WikiMedia Brasil? Entendo que a equipe que será montada deva ser participante da comunidade de voluntários e não uma instância separada. Primeiro, acho que o grupo contratado deve entender e viver a internet como missão e valorizar a oportunidade de participar de um projeto que põe em prática, em larga escala, a ideia do compartilhamento de conhecimento. (Por isso acho que, além de saber de tecnologia, cada participante da equipe precisa gostar e saber se relacionar com pessoas.) Nesse sentido, acho que a equipe deve existir e funcionar junto com a comunidade dentro da ferramenta wiki, exercitando a transparência e aprendendo pela vivência junto com os voluntários. --Candidato lépton 00h45min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
As considerações do Lépton fazem todo o sentido, especialmente no que diz respeito ao espaço (como é mencionado nas recomendações do BCP sobre local) e à relação com a Wikimedia Brasil e com a comunidade. Nestes aspectos, concordo totalmente e creio que tenho pouco a acrescentar. Quanto à estrutura e às funções da equipe, a proposta que tenho pensado – e sobre a qual adoraria sugestões e comentários – está abaixo. Antes, contudo, vale uma explicação. Minha experiência trabalhando com equipes pequenas mostra que dificilmente o trabalho de cada área é estanque e todo o tempo haverá a necessidade dos responsáveis das áreas trabalharem em conjunto. Isso acontece não só por que um dado trabalho pode envolver as duas áreas, mas por que quando se tem uma equipe pequena, às vezes há mais trabalho do que mãos disponíveis. Assim, a flexibilidade de trabalho dos envolvidos (leia-se múltiplas habilidades) e a identificação com a missão do projeto serão fundamentais para permitir que eles eventualmente atuem como “coringa” nos projetos especiais que surgirem e nas tarefas que acabarem crescendo além do planejado. Posto isso, a estrutura da equipe, em linhas gerais, seria: Parcerias para a produção de conteúdo: Esta área ficaria responsável pelo estabelecimento de parcerias que seriam definidas em conjunto com a comunidade e o diretor. O responsável faria o acompanhamento e atuaria como facilitador tanto entre a instituição e a WMF, quanto entre a instituição e os membros da comunidade interessados em participar daquela iniciativa. Imagino que alguns dos projetos que poderiam ser desenvolvidos aqui incluiriam o de embaixadores e o de educação, além da identificação de oportunidades junto a outras organizações, tais como associações técnicas e profissionais (INMETRO? OAB? CREA? INPI? INPE?) que detenham conhecimento técnico e estejam dispostas a trabalhar em conjunto. Comunicação / Marketing? / Relação com a Imprensa / Eventos: Esta área ficaria responsável pelas estratégias de comunicação e desenvolvimento de campanhas em conjunto com a comunidade, pelo suporte à participação da comunidade em eventos no Brasil e pela relação com a imprensa. As outras áreas também atuariam em conjunto com esta dependendo do projeto e da demanda específica. Tecnologia: como o Lépton mencionou, é extremamente importante ter uma pessoa com conhecimento de programação/tecnologia no time para tocar a área de tecnologia local. Na minha opinião, essa área poderia não só representar os interesses lusófonos junto à WMF, mas especialmente coordenar esforços locais de desenvolvimento de tecnologias baseadas na Wikipédia, gerando ferramentas e serviços úteis aos usuários e que se revertam em um uso maior da enciclopédia. Incluí na minha página algumas ideias de aplicativos que poderiam ser fomentados. Outra função crucial desta área é o monitoramento e elaboração de análises estatísticas sobre o projeto: quantidade de artigos criados, qualidade dos artigos, tamanho da comunidade, eficácia de determinadas campanhas e etc. Comitê Consultivo: também interessante manter um pequeno comitê consultivo não remunerado formado tanto pela equipe da WMF quanto por membros da comunidade e por pessoas de outras instituições para atuar na identificação de oportunidades junto à empresas e fundações de apoio. Esse comitê também atuaria na seleção dos projetos apresentados pela comunidade que necessitassem de apoio financeiro da WMF, e poderia inclusive pensar em maneiras de levantar recursos para estes projetos, se houver insuficiência de recursos da própria WMF. Diretor:o diretor atuaria matricialmente em todas estas áreas, mas especialmente ficaria responsável por desenvolver uma relação próxima com a comunidade, mantendo sempre um canal direto de comunicação aberto para identificar pontos problemáticos e construir soluções para estes problemas em conjunto. Além disso, seria responsável pelo planejamento das atividades em conjunto com as áreas e a comunidade, pela verificação do alcance dos objetivos e metas e traçados, pela identificação de novas oportunidades de crescimento do projeto e etc. Essas são as ideias inicias. O que acham? Candidato gluon 03h28min de 19 de janeiro de 2012 (UTC).
Caros, tenho acordo com a maior parte das colocações/sugestões. Em relação às funções, não sei se a estrutura vai mesmo exigir, mas pela minha experiência, mesmo um escritório pequeno precisa de um perfil (ainda que seja meio período ou terceirizado) de gestão/administração/financeiro. Ainda que o Diretor ou coordenador tenha que supervisionar tudo isso, esse tipo de função é de formiguinha, não aparece quando é bem feito - e aparece um monte quando não é feito ou é mal feito. Contratos, burocracias, certidões, regularização da pessoa jurídica, acompanhamento de processos de qualificação de OSCIP etc. etc. Pode ser que o diretor absorva parte dessas coisas, mas se absorver tudo, acaba não podendo cuidar de questões mais estratégicas como planejamento, relações públicas e 'políticas', parcerias etc. Como parece que serão entre 3 e 5 pessoas mesmo, certamente elas precisarão ter perfis/habilidade múltlipas. Mas há funções para serem realizadas nos grandes campos (não necessariamente por pessoas diferentes: de a) gestão/administração/eventos, b) advocacy/articulação/relações públicas/comunicação, c) tecnologia/formação/criação de dinâmicas com a comunidade/articulação de processos permanentes de tomada de decisões e debates etc. Sobre o local do escritório, o ideal é mesmo compartilhar espaços (escritório pequeno e espaço comum compartilhado mais generoso, como é o caso na Casa de Cultura Digital que, pelo que conheço e converso, estaria totalmente aberta). Mas acho que o espírito a garantir aqui é mantê-la aberta à comunidade, atraente para a visita de parceiros estratégicos (localização, espaço para reuniões, etc). Vocês sentem falta de uma sede física ou acham que vão frequentá-la pouco? Gostaria de ouvi-los quanto a isso. Ah, sim, e gostei de muita coisa proposta pelo suposto 'candidato neutrino' (que não é candidato), abaixo. Não faço ideia de quem seja, mas o anônimo disse algumas coisas interessantes --Candidato fóton 06h37min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Primeiro passo é fazer um benchmark de abertura de operações da Wikimedia. Entender e aprender como foi o processo de abertura de outros escritórios(erros e acerto), qual a estrutura mais enxuta e eficiente e como podemos remixar esse aprendizado levando em consideração o tempero do cenário e cultura brasileira. Segundo passo: definir prioridades e fazer projeção de atuação em cenário futuro de no mínimo um ano. Assim teremos uma visão mais clara do perfil e tamanho mínimo da equipe necessária para o início das operações. Paralelamente a esses dois processos, pesquisar locais para instalação do novo escritório e definir estruturação contábil e administrativa. Sobre o local do escritório, a Casa da Cultura Digital é a minha primeira opção por conta de três fatores: 1- localização de fácil acesso via transporte público (próximo ao metrô Marechal Deodoro - Linha Vermelha) 2- poder de convocação e influência da rede de relacionamento que se estabelece a partir dos integrantes da CCD, 3- comprometimento com a revitalização do entorno a partir do fomento da cultura. O ponto negativo é que o processo de locar uma casa na vila da Casa da Cultura Digital pode ser demorado. O HUB São Paulo, para mim não é opção. Apesar da localização central e de fácil acesso via transporte público, O Hub São Paulo é apenas um espaço de co-working, que subloca espaços e que não possui de fato nem comprometimento nem familiaridade com as pautas da cibercultura. De qualquer forma faz-se necessário um mapeamento mais detalhado para ampliar o leque de opções. Um ponto importante é o espaço do escritório comportar uma estação de trabalho para acolher os voluntários.--Candidato quark 15h31min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

E após essa fase de seleção, infelizmente apenas uma pessoa será selecionada, após alguns serem convidadas para ir a São Francisco. Pretendem contribuir de alguma forma com a Wikimedia Foundation, mesmo se não conseguirem o emprego? Contribuiriam com algum mutirão da Wikimedia Brasil? Caso sim, como? --Everton137 03h17min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)

Espero poder contribuir com a WMF mesmo não sendo escolhido. Não conheço os mutirões e já tenho outros compromissos como voluntário hoje, mas garanto que vou me tornar um editor mais presente na Wikipédia. Depois desta semana intensa de convívio, acredito que as minhas contribuições já não precisarão ser indicadas para a eliminação rápida ;-) --Candidato lépton 01h42min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Sim, minha ideia também é contribuir independentemente do resultado. Já estou em contato com membros da comunidade para auxiliar em uma das iniciativas. Só não posso falar mais ou meu anonimato ficará comprometido :) Candidato gluon 03h35min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Claro! Idem, idem ;-) principalmente fazendo pontes com contatos e instituições e em eventuais mutirões a que esteja mais apta a contribuir ;-) --Candidato fóton 06h20min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
A idéia é continuar contribuindo sim sempre que a agenda possibilitar. Contribuir em processos de planejamento estratégico e construção de plano de ações e de comunicação colaborativos. Além de contribuir para facilitar a coneção da Wikimedia com pessoas e corporações de seu interesse para a construção de parcerias estratégicas. Acredito de fato no poder transformador da cultura da colaboração e do livre acesso à informação e sempre que posso espalho, apoio e conecto, a partir da minha presença online e da minha rede de relacionamento, organizações e indivíduos que tenham por objetivo a defesa da web aberta, livre e neutra. Isso já faz parte do meu dia a dia, e tem correspondência direta com meus valores pessoais e meu objetivo de vida.--Candidato quark 15h31min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
  • Um ponto fundamental: os candidatos possuem o conhecimento de que a função/vaga não é permanente e que, em alguns anos, deverá ser substituída pelo capítulo brasileiro da Wikimedia que está em formação? Abraços, Pietro Roveri 17h26min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)
Pietro, tenho a impressão que o Barry da WMF comentou sobre isso na entrevista individual, mas não deu maiores detalhes. Acho que o período de trabalho do contratado será de dois anos, algo assim. --Candidato lépton 01h47min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
É isso mesmo, Candidato lépton. Ele já havia comentado sobre isso nas entrevistas. Candidato gluon 06h53min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Pietro e todos, o capítulo legal está em formação. Foram anos de discussão e, como vejo, temos essencialmente dois grupos de pessoas, os contra e os a favor. Eu sou um dos que não vê a necessidade de um capítulo legal, apesar de nunca me opor a alguém criá-lo, assim como achei interessante a idéia de um escritório da WMF no Brasil (fiz esses mesmos comentários na discussão em que a Carol iniciou sobre possíveis modelos do capítulo brasileiro). Acabou não havendo consenso, na minha opinião, mas a formação do capítulo legal foi iniciada - insisto, não me opus, acho que é uma experiência válida. Como já discutimos outro dia, quando me convidou para fazer parte de algum dos cargos do capítulo legal, Pietro, o que resultou no tópico Clube do Bolinha, fiquei com a impressão que ainda não temos um número de voluntários o suficiente para a formação do capítulo legal. Para mim, a maior justificativa em termos uma entidade legal era a questão dos recursos financeiros para nossos projetos. Se houvesse um escritório para funcionar assim, eu não me oporia. Se for o capítulo, como vai ser, também não me oponho. Tendo muito a concordar com o que o Abdo disse sobre o espírito wiki e capítulos da WMF. Acho fundamental o escritório ter como moto de suas ações o que é decidido pela comunidade brasileira e acho que, após a formação do capítulo e do escritório, começará a ficar mais claro para todos nós essas questões de quanto tempo durará, como ambos colaborarão, se haverá uma junção de ambos e acabará sendo uma coisa só, se estámos realmente certos da necessidade de um escritório ou de uma entidade legal e muitas outras coisas. Minha tendência a crer nas coisas apenas após o experimento ser realizado e resultados analisados, me leva a crer que todos nós nos adaptaremos e modificaremos planos e estratégias na medida em que elas forem sendo implementadas. Não dá para prever como será, na minha opinião. --Everton137 10h06min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Tom, apesar dos objetivos finais serem os mesmos, o escritório possuirá metas, não se esqueça disso. Cuidado com essas relativizações quânticas, pois, sem um caminho claro, ficamos à mercê do vento norte. Pietro Roveri 11h34min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
A vaga ser permanente ou não é irrelevante para mim, sinceramente. O que é importante é contribuir de fato para uma presença mais estruturada e eficiente da Wikimedia aqui no Brasil e ampliar o acesso a vozes da nossa cultura que tem pouco ou nenhum espaço de representação. Se conseguir contribuir com esse processo, terei contribuido para a construção da história da Wikimedia aqui, e esse sim é o lugar permanente que me interessa.--Candidato quark 15h45min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Estudo de caso: bolsa para Wikimania[editar]

Caso 1:

Uma das virtudes secundárias da concessão de bolsas para participação de voluntários nas conferências anuais da WMF (Wikimania) é fidelizar editores experientes e novatos. Um editor experiente organizou, por acasião do 10º aniversário da Wikipédia, duas palestras no Brasil : a primeira, em uma grande Corporação para o Head of Business da WMF (atendida por centenas de potenciais voluntários e pela média gerência da referida Corporação) e a segunda, numa OSCIP ligada à difusão do conhecimento, proferida por pessoa competente do WMF Global Team (atendida por dezenas de potenciais colaboradores). Além disso, acompanhou os representantes da WMF em reuniões ministeriais e em eventos informais.

Posteriormente, fizeram pedido de bolsa diversos editores novatos e alguns voluntários editores exprientes com alguma contribuição Offline. No processo seletivo, bolsas foram concedidas a editores novatos e o editor experiente, com aqueles serviços prestados foi preterido.

O Brazil National Director tem bastante influência na definição dos voluntários brasileiros que recebem a bolsa para participar da Wikimania.

Qual a sua opinião? Qual a seria sua posição nesse caso e como justificaria tal posição?

Primeiramente, é interessante definirmos algumas premissas para a análise deste estudo. A premissa básica com a qual deve-se trabalhar é que a participação na Wikimania não pode ser vista como uma espécie de prêmio, nem correlacioná-la a uma forma de reconhecimento ou não pelo trabalho de determinado colaborador. Sempre haverão muito menos recursos para financiar participações na Wikimania do que haverão editores dedicados interessados em participar, então é óbvio que diversos destes colaboradores, por mais ativos e engajados que sejam, acabarão ficando de fora.
A premissa dada no estudo de caso – de que o evento serve como forma de fidelizar editores novatos e experientes – pode ser conciliada com esta acima se pensarmos que existe na verdade uma responsabilidade para o editor que participa da Wikimania. Uma responsabilidade, por que o editor que participa o faz não somente as custas da não participação de outro editor, mas também por que espera-se que ele participe ativamente das discussões da Wikimania e se engaje ainda mais com a comunidade tanto internacional quanto nacional para o desenvolvimento da enciclopédia. A participação na Wikimania deve envolver um compromisso sério e visar, além da fidelização, a promoção de projetos que a comunidade e a WMF desejam expandir, incentivar e/ou promover.
Nesta linha, uma alternativa seria negociar com a WMF que a escolha de alguns dos participantes brasileiros seja feito pelo escritório no Brasil em parceria com a comunidade. Postas as premissas e a ideia de seleção nacional, a maneira ideal para selecionar os participantes deveria envolver um processo transparente com grande participação da comunidade. Os candidatos a participar fariam propostas explicando como a sua participação auxiliaria na promoção de objetivos da comunidade e da WMF e a partir daí poderia-se tentar buscar um consenso. O Fórum Internacional do Software Livre estabeleceu um processo de seleção de palestrantes bastante participativo e que me parece que poderia servir de inspiração.
No melhor espírito de promover a diversidade dos participantes e, ao mesmo tempo, permitir uma flexibilidade para enfocar projetos que a WMF queira incentivar, creio que algumas vagas poderiam ser reservadas para categorias específicas de editores, que poderiam variar de ano para ano. Assim, por exemplo, em um ano poder-se-ia garantir algumas vagas para editores engajados no projeto de educação, em outro, editores engajados em campanhas de marketing e divulgação e assim por diante. Esta é a minha opinião sobre como o processo poderia ser feito no Brasil.
Quanto ao caso específico, dadas as premissas mencionadas acima, creio que a decisão da Wikimedia se justifica na medida em que o que é avaliado atualmente para a concessão de bolsas para a Wikimania é a proposta apresentada de palestra ou de atividade a ser desenvolvida. Ela não funciona como uma retribuição pelas atividades passadas desenvolvidas pelo editor. Por outro lado, pode haver casos em que ainda que a proposta apresentada pelo colaborador não seja das mais interessantes, as iniciativas nas quais ele(a) tenha se engajado recentemente mereçam atenção e incentivo para continuar e a participação na Wikimania vá ajudar nisso. Nesta hipótese, a discricionariedade para atribuição de pouquíssimas vagas pelo escritório local pode ser útil. É inegável que sempre haverão insatisfações na comunidade, pois não são todos que poderão participar, mas ao passar a mensagem correta sobre o significado da participação, bem como tentar promover a transparência do processo pode auxiliar a diminuir essas tensões.
Creio que esta seria a minha abordagem inicial quanto a esta questão. O que lhe parece, Nevio? --Candidato gluon 02h52min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)
Muito complicado e difícil avaliar no escuro, fora de contexto. A impressão que dá é que isso ocorreu e não quero aqui julgar atos passados de outrem em contextos desconhecido. A questão está clara, mas outros elementos do caso não estão, como por exemplo: o editor experiente que organizou os eventos já havia ganhado bolsa em anos anteriores? Quais eram os objetivos prioritários da Wikimania naquele ano? Quais foram os critérios utilizados? Com as informações que me foram dadas, diria o seguinte: o principal é estabelecer critérios a priori. Como vínhamos debatendo na página da tarefa tarefa, a respeito de motivações, estímulos, reconhecimento etc., não se pode criar uma cultura de "um doce" para cada iniciativa bacana que se toma. Deve-se presumir que principalmente o editor experiente, comprometido com a missão da Wikimedia, não está realizando coisas objetivando um retorno imediato ou pessoal. Por outro lado, se um editor se manifesta uma liderança articulada, capaz de incentivar a entrada de novos colabores, integrá-lo ao maior e mais estratégico evento da comunidade parece ser inteligente - e não apenas uma "recompensa". Então depende bastante do contexto e dos elementos que levantei acima. Eu diria que o mais importante é estabelecer os critérios para isso. Mas ele não precisa definir ou eleger os contemplados com o apoio.
Para tornar um pouco mais concreta a resposta, o diretor poderia de antemão compartilhar com a comunidade quantas bolsas serão concedidas, qual a pauta do evento, e ajudar a organizar a missão e os objetivos da comunidade brasileira (ou da comunidade PT) no encontro. Poderia também, junto com a comunidade, estabelecer os critérios para a escolha. E a comunidade pode eleger os contemplados. Com a construção de um processo legítimo e transparente, caberia ao diretor ratificar e apoiar a seleção feita pela comunidade, sugerindo à WMF que acate a escolha. (afinal, como é feito sem diretor de WMF? A comunidade se auto organiza, não?)--Candidato fóton 03h12min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)
Não tenho elementos para avaliar e portanto responder essa questão. Precisaria entender melhor esse programa de bolsas, seus critérios e seus impactos. --Candidato quark 15h53min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Trouxe a discussão sugerida pelo Nevio para cá para ficar centralizado onte os cadidatos estão participando. --Everton137 03h35min de 18 de janeiro de 2012 (UTC)
Obrigado aos candidatos que se expuseram ao debate, meus cumprimentos. Me parecem sensatas as ponderações, candidto Glúon, e as idéias são boas e colocadas claramente, não sei qual a complicação dificultou para o outro candidato. Acho uma grosseria de entendimento confundir uma virtude secundária das bolsas com "um doce". Att, --Néviomande-me uma mensagem 01h06min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Caro Névio, talvez não tenha mesmo entendido o ponto e a intenção não era cometer nenhuma grosseria ou ironia. Não quis dizer que virtude secundária é "um doce". Era apenas uma imagem que achei que poderia facilitar. Pelo visto, complicou ;-) Minha intenção foi dizer comunidades que criaram a cultura de "para toda ação bacana, uma recomepensa" (seja monetária ou não) têm mais potencial de se tornarem reféns disso do que as que não têm isso como uma ação sistemática. E também que a bolsa, pelo que saiba, não é apenas uma forma de recompensa. Mas uma política estratégica para potencializar a participação. Você discorda desse ponto? Eu acho que existem várias formas de estímulo e recompensa importantes e as valorizo bastante (se ler outros comentários meus, não sei se chegou a ler, verás isso). Minha experiência com outras comunidades me leva a crer que o estímulo a partir dos resultados concretos da participação tende a ser mais 'sustentável'. Imagine o dia incrível em que 100 editores promovam diversos eventos importantes. Não necessariamente será possível "reconnhecê-los" daquela mesma forma. Então, o que era pra ser algo desejável, pode se tornar uma dificuldade. Só pra esclarecer, o que considerei complicado é que, pela forma como narrou o problema, parecia ter sido um fato que aconteceu e, como eu não vivenciei o fato, julguei que qualquer análise ou avaliação poderia ser precária sem outros elementos que levantei. Mas, enfim, vamos trocando ideias.--Candidato fóton 03h18min de 19 de janeiro de 2012 (UTC).

Tudo bem, fóton. O caso em nenhum momento coloca ou sugere a skinniana estímulo/recopensa. Isso lembra os cachorrinhos de Pavlov. O ponto, tenho certeza que uma leitura mais atenta lhe mostrará, é do dilema Contribuidores experientes com trabalho voluntário realizado Versus novatos sem experiência comprovada. Ações de reconhecimento são legitimamente praticadas pelas organizações e não se confundem, a meu ver, com recompensa, o que, neste contexto, seria mesmo equivocado, de novo a meu ver, aliás, nisso, a nosso ver. Enfim, infelizmente, neste processo de escolha do Brazil Director, que tem alguns equívocos e obscuridades originais, só alguns dias foram dados ao debate dos finalistas com a comunidade. Boa sorte! Névio
Entendi o ponto, Névio. Claro, formas de reconhecimento as mais diversas são bem-vindas! Eu realmente não tinha pescado que o eixo era o voluntário experiente versus o novato que não tem experiência e não necessariamente mostrou ainda a que veio, né? Vocês têm, já realizaram ou já pensaram em realizar Wikimanias nacionais e regionais (da comunidade PT ou na América do Sul), no estilo da Global mas com um custo menor e menos países envolvidos? Poderia ser interessante, não? Ah, e vale ressaltar e acrescentar uma coisa: quando falei que o importante é ter critérios claros a priori, acho que é possível combinar uma política de bolsas com uma proporção para experientes e uma proporção para os novatos que tenham se destacado mais. --189.45.138.174 19h59min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Dúvida[editar]

Caros, por sugestão do Rjclaudio, se não me engano, incluí, após o chat, uma lista com mapeamento de instituições para parcerias que fosse útil pra vocês e para o diretor(a) que assumir, independentemente do que aconteça. Vocês não acharam útil? Vi que foi removida, não tem problema (eu já recuperei pra mim pelo histórico), mas só queria entender. Não era o local adequado, achou-se inútil ou foi por outro motivo? --Candidato fóton 06h54min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Fóton, como falei no tópico a que você se refere, movi a lista que vocês fizeram para a página de discussão da página parceiros. Um tópico comprido acabou ficando curtinho, então deve ter passar batido visualmente. :) --Everton137 09h43min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Ah, Legal, Everton137! Valeu!--Candidato fóton 13h44min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Saudações dos candidatos[editar]

Para organizar as saudações dos candidatos, criando esse tópico e transformando os outros em sub-tópicos. --Everton137 22h55min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Até breve![editar]

Caros e caras, Escrevo aqui para avisar que hoje, último dia da tarefa, terei dificuldades de seguir presente aqui na Wiki, pois estou com muitos compromissos agendados entre tarde e noite. Esta semana foi bastante intensa, com trocas de mensagens e opiniões madrugada adentro em vários dias. Foi desafiador, estimulante e também cansativo em nossa dupla jornada de trabalhadores candidatos.

Valeu muito a pena.

Espero que tenha contribuído e contem comigo para um processo aberto, caso venha a atuar na Wikimedia, e para parcerias, caso isso não aconteça. Os demais candidatos demonstraram ser ótimos e cooperativos. Agradeço aqui pelos inputs, gentileza e espírito colaborativo dos meus "compaheiros concorrentes" ;-)

Agradeço a todos os questionamentos, críticas, debates. Foi rico estar aqui. E desculpem por eventuais falhas do lado de cá. Espero que possamos continuar o papo com nossas devidas identidades e que os próximos anos da WMF no Brasil sejam proveitosos para a Comunidade-PT como um todo.

Gostaria de agradecer muito o apio que me deram, o interesse e os estímulos.

Abraços e vamos nessa! Boa sorte e uma boa jornada pra a todos! --Candidato fóton 13h55min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Até mais, Fóton, foi um prazer tê-lo por aqui e poder debater perspectivas contigo. Abraços, Pietro Roveri 14h05min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Como já disse, o prazer foi meu. ;) Abração! --Everton137 00h50min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)

Um abraço caloroso[editar]

Foi uma semana e tanto. Obrigado pela oportunidade, pela troca de experiências e pelo esforço para nos proporcionar uma amostra de como será o cotidiano do candidato escolhido para a função. --Candidato lépton 22h49min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)

Espero que a tarefa tenha dado um gostinho do mundo wiki e que tenha contagiado. Abraço! --Everton137 00h47min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)

Prazo encerrado, encerrei minhas contribuições. Deixo o meu até logo :)[editar]

Meus caros, como o prazo se encerrou, também encerrei meu trabalho sobre a resposta. Quem quiser ver o resultado final, pode acessá-la aqui ou aqui com suas respectivas páginas de discussão - vício de novato ficar lembrando aos outros de checarem a página de discussão :).

Foi um prazer interagir com todos aqui. Aprendi bastante sobre o projeto e sobre a comunidade e apesar de ter sido uma semana intensa, me diverti bastante com o processo. Espero ter a oportunidade de conhecê-los fora da Matrix e, assim que terminar o processo, gostaria de contribuir para a expansão do projeto no Brasil, independetemente do resultado. Um abraço a todos e até logo. --Candidato gluon 02h13min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)

Foi muito legal ter sua participação aqui, Gluon, e espero que continue entre nós, independentemente do resultado. Abraço! --Everton137 13h20min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)

Avaliação dos candidatos pela comunidade[editar]

Tópico movido para uma página separada para deixá-la mais limpa e facilitar o debate sobre o desempenho dos candidatos. --Everton137 11h06min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)

LHC[editar]

  • Não tive muita oportunidade de comentar durante a semana mas li tudo que escreveram. Vi que os candidatos deram sua opinião sobre vários problemas, mas queria colocar uns pontos que considero importantes, respondam se ainda der tempo: 1-o diretor da WMF para o Brasil não pode se intrometer na edição da Wikipédia, a WMF não se intromete na edição da Wikipédia, algumas sugestões colocadas acima são totalmente contrárias ao espírito do cargo, não terão nenhuma autoridade para indicar aos voluntários como devem agir, o que permanece e o que sai. O que pensam disto? Como vão se posicionar frente à comunidade; 2- Uma das funções (baseado no que o Barry, a Jessie e a Carol fizeram até aqui) será se relacionar institucionalmente com empresas, universidades, governo, imprensa etc. E se num desses encontros uma autoridade, real, irreal ou surreal, reclamar que o artigo que ele escreveu foi apagado, qual será sua atitude? Se pudesse, manteria um artigo só pelo autor ser alguém influente na mídia ou na academia? E um link para uma revista de uma grande editora (discutimos isso no último WikiSampa com a professora da Unesp, lembram)? E depois vai ter que pedir um patrocínio ou uma nota em jornal para a mesma pessoa. Até onde deve sua espinha dobrar? Grato pela atenção, cuidado com a anti-matéria.Jo Lorib 15h42min de 19 de janeiro de 2012 (UTC)
Olá Jo Lorib - aos 45 do segundo tempo, vamos lá: Sobre a questão 1) Minha proposta não contempla intromissão do diretor na edição, mas acho que pode ser legal dialogar com a comunidade sobre as áreas prioritárias para melhorias e aumento de artigos. O que você acha? Por exemplo: a comunidade aponta que há uma carência de editores com conhecimentos na área de biologia. Podemos pensar juntos parcerias com as faculdades de biologia que contribuam para isso? A outra coisa que eu acho que pode ter uma sinergia é com relação à clareza prévia, para os novos membros envolvidos, sobre como se dará a dinâmica na comunidade. Ou seja, deixar claro de antemão para os parceiros que eles não terão a autoridade, nem darão a palavra final das edições, mas estarão inseridos em um ambiente colaborativo. Se a comunidade também estiver sabendo que vão chegar vários novatos ao mesmo tempo pra ajudar em uma tarefa, isso pode ajudar na interação. Portanto, acho que é possível trabalhar junto nisso sem intromissão. Sobre a 2) Em parte já respondida acima. Já ouvi isso de uma professora (ela sugeriu a atividade e tiraram um artigo que ela tinha achado ótimo). Mas ela (pelo menos ainda) não parou de sugerir por causa disso. Já vivi isso também em outro contexto: e é da vida. Tenho pra mim que o mais importante é deixar claro que não temos autoridade sobre a comunidade e que não queremos, nem temos como, interferir na edição. Limpa-se a área de cara e bola pra frente! --Candidato fóton 00h19min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)

Fora de tópico: DÚVIDA CRUEL![editar]

Candidatos Fóton, Lépton, Gluon e Quark, tenho uma dúvida que não consigo encontrar uma resposta e gostaria que me ajudassem. Por que vocês sempre estão colocando um link para a página do usuário a quem estão se referindo? Acabei de ver o trabalho que dá colocar o link para suas páginas, então queria entender. Podem responder se quiserem ou quando acabarem a maratona. Obrigado, --Everton137 22h49min de 19 de janeiro de 2012 (UTC) P. S. Gostei muito de interagir e acompanhar suas interações por aqui! Houve até quem aprendeu um pouquinho de física. :)

boa pergunta! Não faço ideia. Hábitos que só o facebook cria pra vc, talvez? Eu copiava e colava a assinatura. Mas não tenho um motivo pra justificar, não ;-( --Candidato fóton 00h16min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)
Nhá, facebook tem autocomplete. Aqui dá mó trampo. Melhor só escrever o nome ou até mesmo o apelido (já percebeu que alguns me chamam de Tom?). Se quiser dar destaque, coloque em negrito, cara Fóton. ;) --Everton137 00h46min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)
Idem, não faço idéia. estou apanhando ainda um bocado editando essa wiki.--Candidato quark 01h57min de 20 de janeiro de 2012 (UTC)