Discussão:Formação do Capítulo Legal da Wikimedia Brasil

Grupo de Usuários Wiki Movimento Brasil
Ir para navegação Ir para pesquisar

Perguntas ao AffCom[editar]

Coloco abaixo as perguntas que gostaria de fazer ao AffCom:

Como não responderam a última questão nesta página colocaremos o questionamento de forma mais detalhada:

  1. No processo de formação do capítulo nós passamos por todos passos de m:Step-by-step chapter creation guide anteriores ao reconhecimento do capítulo pelo AffCom, reunimos as pessoas, definimos nossos objetivos e estrutura, demonstramos que temos um histórico de atividades, entregamos nosso estatuto revisado por advogados e traduzido, respondemos suas perguntas. O que ainda está faltando para o nosso reconhecimento como capítulo? Se vocês têm dúvidas sobre nossa estrutura, por que não perguntaram a nós nesta página?
  2. Estamos discutindo sobre a sugestão que deram para a criação de um grupo de usuários e temos dúvidas sobre a relação do capítulo com o grupo: O grupo seria parte do processo de formação do capítulo ou grupo e capítulo teriam processos de Afiliação separados? Qual implicação esse grupo de usuários teria no processo de formação do capítulo, ajudaria o processo do capítulo ou tornaria a ideia do capítulo mais distante? Caso o grupo de usuário seja criado, qual é a previsão para que o processo do capítulo seja concluído?
  3. Temos tido dificuldades de comunicação com o AffCom nos últimos anos, nós gostaríamos de ter uma comunicação mais frequente, de uma forma tão aberta e transparente quanto possível. Vocês poderiam discutir nesta página com mais frequência? Caso tenham dificuldades com esta página, o que podemos fazer para termos uma melhor comunicação?

Essas não são dúvidas de todos voluntários do Wikimedia Brasil, mas de uma parte. As diferentes ideias sobre quais seriam essas respostas têm criados conflitos internos em nosso movimento. Se não tiverem um consenso sobre as respostas, deixe-nos saber ao menos suas opiniões individuais como membros do AffCom. Agradeceríamos se puderem responder com brevidade. Sinceramente. ----

Essa é minha proposta de questionamentos ao AffCom. Sugerem mudanças? Onde colocaríamos, em m:Wikimedia Brasil/AffCom ou na página de discussão? Danilo.mac (discussão) 00h03min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]

Em relação à questão 3, discordo da interpretação dada. Existe uma enorme diferença entre o que se espalhou por aí como o conceito de representatividade e o que realmente ocorre. A definição de um representante não cria um indivíduo capaz de responder por toda a comunidade, mas dá a ele a incumbência de ser o porta-voz daquela comunidade diante de um cenário que exija a restrição de participantes em número. Isso acontece do Encontro de Capítulos, na Wikimania, Iberoconf... As pessoas que estão nesses locais devem ter a autonomia de dialogar com as diversas entidades representadas, ou então é melhor que não vá ninguém, porque aquele encontro será inútil para o projeto. Essa interpretação absurda tem perdurado por muito tempo e, além de não fazer sentido, cria uma dificuldade enorme em dialogar com outras entidades. Pode-se pedir que o AffCom se manifeste publicamente sobre o capítulo, mas se eles adotam como modelo de operação, que se escolham algumas pessoas para promover a comunicação entre os dois grupos, nós podemos nos adaptar a isso porque essa possibilidade não está excluída.
Na minha opinião, as perguntas poderiam se resumir a um pedido para que o AffCom se manifeste sobre o processo de revisão do pedido de aprovação do capítulo brasileiro. Adicionado a isso, pode-se aproveitar para esclarecer qualquer dúvida que se mantenha sobre os aspectos técnicos do Grupo de Usuários. Vinicius Siqueira 01h35min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Removi o trecho sobre representantes (versão antes da mudança), mantendo a questão da dificuldade de comunicação, o que acham? Sobre o grupo, eu não estou conseguindo entender qual é a relação do capítulo com o grupo, por exemplo, se o grupo tiver um tempo de vida de um ano, as discussões sobre o capítulo só continuariam depois de um ano? O processo do capítulo e do grupo são o mesmo processo, processos separados, ou nós decidimos isso? Se pudermos definir o tempo de vida do grupo em "X anos, ou até a aprovação do capítulo", juntando os dois processos, acho que seria o ideal. Danilo.mac (discussão) 03h34min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Pode-se dizer que o grupo, no futuro, visa à formação de um capítulo. Nós que apoiamos o grupo, acreditamos que esse é o modelo mais viável e vantajoso para a comunidade brasileira, no momento. Pensamos que um capírulo poderia resultar em um desgaste ainda maior da comunidade. Por outro lado, o grupo, que exige uma estrutura muito mais simples, pode contribuir para o fortalecimento da comunidade, pelo fato de direcionar os esforços para as atividades que desenvolvam a nossa capacidade de operar enquanto uma comunidade colaborativa. Com a criação do grupo e a rejeição do capítulo (que deve ocorrer, muito provavelmente), o processo atual de criação do capítulo se encerra e deve ser reiniciado quando o grupo julgar útil migrar de modelo de associação. Isso pode ocorrer daqui a 6 meses, um anos, dois... Quem define isso somos nós mesmos. Necessariamente, o grupo não tem um prazo de validade. No entanto, como meta de trabalho, nós podemos, por exemplo, estabelecer o prazo de um ano para criarmos condiçôes internas de formar um capítulo. Isso depende de nós. Vinicius Siqueira 03h57min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Danilo, não temos representantes, não somos um projeto, e o espaço para conversa é aquele, todos, em teoria, do AffCom sabem utilizar uma página Wiki para promover uma discussão, e se vir, eles gastam um amplo tempo em outras atividades dentro do Movimento Wikimedia, inclusive em conversas paralelas, não fazem o uso da página por opção.
Sobre seu questionamento a respeito de tempo e relação do grupo, não foi aberta uma discussão sobre o que deve ser feito, e você pode ver pelo discurso que é praticamente um golpe de estado, já que estão entrando com um processo pra procrastinar ainda mais a formação do atual capítulo e depois disso pretendem fundar outro no lugar. Não há nada na Ágora sobre mudança de modelos, mas tem perseguição a voluntário, desrespeito a voluntário morto, a voluntários que fizeram muito pelo grupo...
Sem discussão comunitária sobre isso, são dois grupos e com posturas antagônicas, já que um busca seres livres dá para ouvir um pouco sobre isso, o outro busca censurar, atacar e diminuir trabalhos alheios. Rodrigo Tetsuo Argenton m 14h02min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Argenton, eu gostaria que o capítulo fosse reconhecido logo, mas o fato é que você está defendendo o capítulo, eu estou em cima do muro e o Raylton apoia o grupo com ressalvas, ninguém mais está defendendo o capítulo nesse momento, e todos que acompanham esse movimento sabe da discussão sobre o grupo pois houve aviso na lista, nas wikis e está no Painel e nas MRs. Se não tivermos mais gente defendendo o capítulo, não vejo como organizá-lo, pois o capítulo exige uma estrutura maior que a exigida pelo grupo, precisamos de mais gente comprometida com o capítulo para ele dar certo.
Sobre os representantes, acho que precisamos discutir mais sobre isso, na Ágora de preferência. Se tivermos representantes que levem a opinião de todos dentro do movimento e defendam que as opiniões de todos sejam consideradas, acho que não é uma ideia tão ruim. Não acho producente por exemplo termos uma discussão de uma semana toda vez que quisermos falar ou dar resposta a alguma organização ou movimento, isso torna as discussões muito lentas e desestimulantes.
Sobre relação entre grupo e capítulo, acho que deveríamos sim colocar o capítulo como um dos objetivos do grupo, principalmente se pudermos aproveitar o que já foi feito como estatuto e fundação da APR. Estou criando a seção abaixo para tentar entender melhor isso e já deixar as coisas mais organizadas para quando dermos continuidade ao capítulo. Danilo.mac (discussão) 16h54min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]

Se é verdade que a APR não foi fundada oficialmente, então não tem porquê insistirmos tanto no capítulo, essa é a parte mais burocrática, seria muito difícil fazer isso no nosso atual nível de organização. E isso comprova nosso nível de organização, se isso estivesse registrado de forma clara em algum lugar eu não teria gasto tanto tempo insistindo no processo do capítulo. Pelo menos fica a lição. Danilo.mac (discussão) 22h18min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Danilo, não exige, muito sério, não exige.
Eu estou aqui apenas em sua consideração para que você entenda, o capítulo brasileiro não seria como os outros que necessitam de pessoas contratadas em tempo integral.
A estrutura necessária são 7 pessoas, sendo 6 nominais e uma contratada, as 6 nominais são os diretores, 3 da mesa executiva 2+1 da mesa financeira, eles só têm que verificar uma vez ao ano se o que o contratado (um contador profissional, que faz uma vez por mês o balanço) fez o balanço correto, e seriam acionados caso algum voluntário acione.
Isso se o grupo de usuários também não tiver uma entidade legal, senão não tem diferença
E para fundar a APR-CCL, é só entregar um papel, juro que é isso, só entregar um papel, não fizemos por uma questão meramente política, esperando o parecer do AffCom, para eles não ficarem espalhando que passamos por cima deles, como fizeram.
No mais, não muda em nada, não muda o modo de realizar atividades, não muda a forma de nos organizar, só temos mais direitos.
Como comeu solta uma censura de conteúdo, e ataques pessoais e todo a babaquice entorno, você não vê na proposta a comparação com o modelo de capítulos, mas entenda que a única burocracia é fazer o balanço anual, que também terá que ser realizado pelo UG também, e perde-se todos as "vantagens" de ser capítulo.
Estão mentindo quando falam que seria mais difícil, a dificuldade seria a mesma, exatamente a mesma, relatórios, balanços... e sem trazer nenhuma, de novo, nenhuma vantagem sobre o modelo atual.
E consegue ver que eles têm um discurso do tipo "é para fazer atividades", mas o espaço está aqui desde 2009 e nenhum deles utilizou para realizar atividades? O que a criação mudaria a postura deles? Reparou que eu fiz essa pergunta e nenhum deles respondeu, e mais, veja que não a diálogo, o discurso é sempre político, mas não não há respostas para as indagações feitas, sejam elas como forem.
Rodrigo Tetsuo Argenton m 11h14min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]

Responderam alguma coisa, finalmente! Eles colocam o grupo como um passo necessário para a formação de um futuro capítulo e dizem que o processo do capítulo só será retomado no mínimo um ano depois do grupo de usuários, se esse for bem sucedido. Agora já temos uma ideia melhor de como fica o capítulo nessa história. E responderam em tom conciliador, tomara que continue assim e não voltem a interromper a comunicação por tanto tempo. Danilo.mac (discussão) 02h30min de 23 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]

Apenas para organizar[editar]

Não participei do processo de formação do capítulo, então gostaria de entender o que exatamente já foi feito e o que poderia ser aproveitado em uma futura retomada do processo. Temos por exemplo um estatuto e a Associação Pietro Roveri, o trabalho mais burocrático, me corrijam se eu estiver errado, está feito, o que faltaria seria comprovar um histórico de atividades, rever a lista de membros, fazer uma reunião para eleger diretoria e acertar detalhes como meios de contato, caixa postal, telefone, etc. É isso o que faltaria ou tem mais coisa? Mesmo não dando continuidade ao processo seria bom deixar isso mais esclarecido para retomarmos o processo futuramente. Danilo.mac (discussão) 16h54min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]

A Associação não chegou a ser fundada oficialmente, apesar de ter ocorrido a assembleia. Vinicius Siqueira 21h51min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Não? Eu lembro de terem feito uma lista das obrigações legais para se criar uma fundação no Brasil e que alguns estavam indo atrás dessas exigências, pensei que já tinham concluído esse processo. Isso explica muita coisa. Danilo.mac (discussão) 22h18min de 21 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
É só entregar uma folha, pois um cpf estava errado, mas resolvemos esperar o AffCom, pois eles estavam espalhando para deus e o mundo que passamos por cima de decisões deles, e eu não sei quantas vezes eu falei isso,
Mas é bem estranha a postura do AffCom, até porquê vários capítulos formaram suas entidades legais, antes de serem aprovados pelo AffCom, muitas delas ligadas ao Iberocoop, que possui grande parcela de cadeiras no AffCom.
Mais uma coisa, está aqui o que falta em "Quanto ao tempo do processo e gastos energéticos."
Todo o resto está pronto.
Se for retomar futuramente, ai é outro processo do zero, outras pessoas, outra Assembleia, outro estatuto, outro endereço... E não sei se sabe esse é o segundo capítulo brasileiro a se formar, e eu estou lhe afirmando que o processo tem que ser do zero, tudo é jogado fora, e literalmente, milhares de dólares vai junto. E foi a mesma ladainha, no fim do processo, vem um grupo que não ajudou em nada, e não realiza nada, e começa a meter pau, jogar um monte de mentiras, perseguir voluntários... idêntico.Rodrigo Tetsuo Argenton m 11h25min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]

Formação de uma associação Só para constar, agora que tive que eu mesmo fazer o pedido de um registro em cartório de uma associação, um relato do processo:

  • eu não tive que escanear RG e CPF de todos que assinaram a lista de presença que constava na ata. Bastou uma lista que contava com o nome dos futuros associados, profissão, estado civil, CPF, RG, endereço e assinatura.
  • a única documentação mais detalhada necessária foram as assinaturas com firma reconhecida do presidente e secretário da assembléia, do diretor executivo da associação (no caso da WMBR, seria o presidente), e do advogado que assinou o estatuto. Tudo isso foi encaminhado para um cartório central em São Paulo (com um custo algo de quase R$ 270 + os vários reconhecimentos de firma, o que passou dos R$ 400 no total incluindo cópias autenticadas para a receita federal, numa etapa posterior), que pediu para corrigir alguns detalhes, como a lista de pessoas na ata não estava igual ao de assinaturas (tentamos associar pessoas de outros estados via procuração simples, mas seria preciso reconhecimento de firma, então serão associados depois) e colocamos errado a data no edital de convocação, que bastou corrigir;
  • sobre o edital de convocação, não foi necessário publicar em diário oficial, bastando publicar na lista de e-mails e página da futura organização, com um papel impresso a ser entregue para o cartório no formato de um edital de convocação.

Tudo isso foi feito por orientação do Instituto Pro Bono. Desde a data da assembléia até o cartório aceitar nosso documento (com uma devolução e pequenas correções), o processo demorou um mês. Agora estamos esperando a Receita Federal aceitar nossos documentos para criação do CNPJ (estes chegaram lá dia 14 desse mês aqui). Não entendo a demora que está ocorrendo aqui, nem esses detalhes de cópia de RG, pois não precisamos de nada disso. O que imagino que seria complicado aqui seria o reconhecimento de firma de três pessoas nas documentações, o presidente da WMBR, o presidente e secretário da assembleia (se não me engano, Rodrigo Argenton, Alexandre Abdo e Claudio Barbosa, respectivamente). Se fosse para agilizar, o ideal seria que os três fossem da mesma cidade e a documentação fosse encaminhada para um cartório central da cidade dos três. Mas há uma pessoa do Rio de Janeiro, o Claudio, e a documentação ficou com alguém que está em Brasília, o Castelo.

Sempre achei estranho o que ocorreu desde a assembleia. Agora que vi que o processo não tem tanto segredo após executá-lo, ficou mais estranho ainda para mim entender o que ocorreu. --Everton137 (discussão) 12h30min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]

Mais uma dúvida, apenas para deixar registrado: quem seria a diretoria? Já foi escolhida ou seria eleita depois da fundação oficial da associação? Os membros do AffCom que estavam no Iberoconf me perguntaram (através do Rodrigo Padula que estava falando comigo via IRC) qual era a diretoria, fiquei sem saber o que dizer. Danilo.mac (discussão) 15h47min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Everton, na época eu mandei mensagem questionando a necessidade de publicar em veículo de grande circulação na lista e também perguntei diretamente ao Castelo, já que nunca tinha visto essa necessidade em outras organizações que vi (ou ajudei a) se formarem. Castelo à época me respondeu dizendo que era orientação dos advogados para evitar problemas com cartórios que pudessem ser mais "chatos". --Oona (WMF) (discussão) 17h06min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Danilo, tentei achar a ata e, aparentemente, não foi mesmo divulgada. Posso não estar encontrando, mas pelo que me lembre (salvo engano!), foram eleitos Castelo, Pissardini e Argenton para a diretoria; Jonas, Mateus e mais alguém no conselho fiscal. Mas a essa altura, isso serve mais como memória, visto que nunca foi formalizada a associação. O próprio Pissardini decidiu retirar-se do processo pouco depois, Castelo tem estado sumido, e já faz um ano (essa diretoria já teria passado por nova eleição caso tivesse sido completado com êxito o registro no cartório). --Oona (WMF) (discussão) 17h29min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Acho que o outro membro do conselho fiscal era o Vinícius, mas como disse Oona: isso serve apenas como memória. --Jonas (discussão) 18h05min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Era sim. De toda a diretoria e conselho fiscal eleitos, podemos dizer que só sobrou o Argenton. Está claro que essa asembleia já não tem nenhum valor, portanto, necessariamente deve ocorrer outra, mesmo que o capítulo seja aprovado hoje. Vinicius Siqueira 18h19min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]
Obrigado por relembrar esse e-mail, Oona. De fato, isso era desnecessário. No nosso estatuto colocamos que divulgaríamos com 10 dias de antecedência e também não houve problema algum. Eu coloquei sem querer a data do dia da assembleia no edital de convocação (que burro) e tive que simplesmente enviar um outro, apesar de termos divulgado na data certa na nossa página e lista de e-mails e isso serviria como prova (quando falei ao advogado do Pro Bono que eu ia mandar o e-mail de divulgação e página impressas, ele disse que bastava eu corrigir a data). O cartório só quer os papéis. Funcionou. Não precisaria nem reunião presencial - e é o que muita gente deve fazer.
E acho importante os nomes de quem foi eleito ficar registrado no wiki - achei que estavam. Ainda gostaria de saber o que ocorreu desde a assembleia, mas como isso não sei se vou conseguir, todo apoia a criação do grupo de usuários. Sempre fui contra a criação de uma entidade legal para a Wikimedia no Brasil (digo, eu não queria me envolver com isso, mas apoiaria, se alguém quisesse de fato tocar). O grupo de usuários serve muito bem para o modo como a comunidade estava trabalhando e essa corrida para formar uma associação foi uma resposta da WMF querer vir com um escritório (coisa que ao invés de catalizar a comunidade, mais parece ter bagunçado tudo ; ). --Everton137 (discussão) 18h28min de 22 de outubro de 2013 (UTC)Reply[responder]