Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia

Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil
Ir para navegação Ir para pesquisar
Wpatrimonios.png

Atividades

Concurso fotográfico ibero-americano

Compartilhe

Bookmark with Facebook Share on Digg.com Share on delicious Share on reddit.com Share on stumbleupon.com Share on Technorati Share on twitter.com Compartilhe com identi.ca

O Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia seleciona projetos no campo da fotografia que consideram "as novas linguagens e suas diversidades, contemplam temas relevantes da sociedade contemporânea, nova produção fotográfica, a transversalidade da fotografia com as artes e com outras áreas do conhecimento, o diálogo com a educação, fortalecem a memória cultural brasileira e permitem a acessibilidade aos equipamentos e bens culturais". O prêmio é considerado um dos mais importantes do País, pela sua premiação total de R$ 1 milhão, com recurso do Ministério da Cultural através do Fundo Nacional de Cultural (FNC).

O Prêmio é dividido em três módulos. O módulo 1 premia projetos de livre criação fotográfica; o módulo 2 premia projeto de documentação fotográfia do Brasil; e o módulo 3 premia projeto de reflexão crítica sobre fotografia. Serão premiados seis projetos em cada módulo, totalizando 18 prêmios. Cada prêmio é de R$ 53 mil pago em parcela única, com retenção de IR para PF ou para recolhimento posterior do IR por PJ. Os contemplados se comprometem a realizar o projeto em até quatro meses do pagamento do prêmio e arcam com todas as despesas de execução do projeto. Não há cessão de espaço pela Funarte.

O edital é aberto a pessoas físicas ou pessoas jurídicas de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos, que tenham atuação na área das Artes Visuais. As inscrições são feitas por SEDEX ou outra forma de via postal expressa com aviso de recebimento (AR).

Em 2013[editar]

Os projetos premiados no módulo 2, relativo à documentação fotográfica do Brasil, vieram de Natal, Belo Horizonte e Porto Alegre. O primeiro prêmio foi para Marcelo Buainain, que propôs documentar o abandono dos jumentos no interior do Nordeste brasileiro. O projeto incluiu uma publicação com cerca de 50 fotos, uma exposição itinerante no interior do RN e palestras. Pedro Silveira, de Belo Horizonte, documentou uma comunidade quilombola no interior da Bahia e montou uma exposição, que estará inclusive no Paraty em Foco 2014. Outro projeto premiado foi o de Anderson Astor, que documentou a paisagem natural e humana do Rio Grande do Sul e do Rio Grande do Norte em milhares de fotos colhidas em viagens a pé por todo o litoral dos dois estados, e expôs algumas fotos selecionadas em quatro espaços (3 no RS e 1 no RN).

Dados do projeto[editar]

Título
Objetivo
Justificativa
Planejamento para realização do projeto
Produto ou resultado final do projeto
Cronograma de execução
Plano de ação sócio-educativa
Ficha técnica
Plano de comunicação
Plano de distribuição
Público a ser atingido
Recursos oriundos de outras fontes
Orçamento
Anexos

Ligações externas[editar]